Eleições

PEC do voto impresso pode ser barrada na comissão especial

Julho 02 / 2021

 

Partidos políticos fazem articulação para tentar barrar, ainda na comissão especial na Câmara dos Deputados, a proposta de emenda à Constituição (PEC) que cria o voto impresso no país. Assim, partidos começaram a trocar integrantes da comissão por parlamentares contrários ao texto. Nesta quinta, em reunião secreta, ficou definido que o parecer favorável à PEC, do deputado federal Filipe Barros (PSL-PR), vai ser discutido na segunda-feira, com votação prevista para a quinta.

A definição ocorreu após representantes de dez partidos terem participado de uma reunião informal, na quarta, com o ministro do STF Alexandre de Moraes, que vai assumir a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no ano que vem. Além disso, no fim de semana, representantes de 11 siglas se posicionaram contrariamente à PEC. “A posição dos 11 partidos e mais a nossa, do PSol, permite tentar rejeitar o relatório na comissão especial”, afirmou a deputada federal Fernanda Melchionna (PSol-RS), que participou da reunião “secreta” de ontem.

Até o início do mês, a PEC do voto impresso tinha votos suficientes para avançar na comissão especial da Câmara. A PEC é assinada pela deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), e conta com o apoio do presidente Jair Bolsonaro. Na saída da sessão plenária, nesta quinta, o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, disse que no Brasil já existem eleições limpas e reiterou que criar o voto impresso gera mais problemas do que soluções para o país e que o próprio presidente Bolsonaro foi eleito com voto eletrônico.

 

Correio do Povo



Publicado por: Tiago Borges E-mail: jornalismo@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais