Coluna Circulando e a política atual.

Ciclovia (s).

Ana Maria Leal
Abril 23/ 2021

O prefeito Milton Schmitz falou em entrevista para a Rádio Gazeta, concedida ao jornalista Emilio Arruda, sobre as ciclovias da cidade.

A que está em obras, e a que é pretendida.

A que estava em obras, melhor dizendo, é a da avenida Pátria, com recursos de R$ 322 mil.

Estava porque segundo o prefeito a empresa licitada, a Competence Construções de Obras LTDA abandonou, de vez, a obra.

Desde março de 2020 já havia problemas, os trabalhos foram interrompidos, retomados, e agora, parados definitivamente.

''Esgotou todos os prazos da empresa para concluir a obra, abandonou há uma semana, não vai mais concluir, a prefeitura está negociando com a empresa que tem o loteamento Morada da Pátria a conclusão dos últimos 50 metros da ciclovia que faltam''.

Um fiscal da Caixa de Passo Fundo deve estar em Carazinho neste sábado (24) ou na segunda (26) para verificar in loco e validar todo este processo dando a obra como conclusa.

''A prefeitura está pagando uma vistoria extra para a Caixa para dar a obra como conclusa. Com a obra conclusa a secretaria de Obras vai fazer o preenchimento da ciclovia na parte interna, com concreto, entre a pista de ida e de volta, uma ciclovia ampla, bonita, maravilhosa, que será ainda um orgulho, estamos sofrendo críticas mas o culpado não somos nós, o culpado é a empresa que não está executando a obra, a prefeitura não tem mecanismo, porque ela (a empresa) utiliza os prazos, pede prorrogação, e não tem o que a prefeitura fazer, se para no meio do caminho, tem que fazer nova licitação, leva mais 60, 90 dias, não se sabe quem vai ganhar, e se será diferente e melhor. Não sabemos. Mas temos a solução que é a ciclovia pronta,  a melhor notícia é que a ciclovia vai seguir para dentro do loteamento, mais 1 quilômetro, sem custos para o cidadão, o loteamento vai executar essa obra''.

O prefeito também informou que o primeiro projeto da ciclovia era até o posto Pátria, mas aquele foi considerado um trecho de muito conflito de trânsito, então a decisão foi de que o ideal é não ter ciclovia naqueles 100 metros.

Desta forma a ciclovia vai terminar na rua de acesso a escola Rufino Leal.

Sobre a outra ciclovia, a pretendida, junto aos trilhos da via férrea, o prefeito disse que o município obteve sim, uma pré-autorização, e um projeto será elaborado para o trecho dos bombeiros até o Correio do Povo.

Os trilhos não serão retirados, será feita a utilização da beira trilhos.

Essa foi a pré-autorização obtida.

O primeiro passo após a autorização final, disse o prefeito, é fazer a ciclovia.

Segundo passo, reabertura legal da Antônio José Barlete próximo da delegacia de polícia no acesso aos bairros Loef e Medianeira. 

Depois utilização da Gare para projetos culturais e gastronômicos, e um estacionamento quase de ponta a ponta na beira trilhos.

Não foi falado em prazo para colocar esse segundo projeto em prática. 








Compartilhe esta coluna em suas redes sociais