Agricultura

Ministério reconhece RS como zona livre de vacinação contra aftosa

Agosto 12 / 2020


O Rio Grande do Sul obteve, nesta terça-feira, o reconhecimento de zona livre de vacinação contra a febre aftosa. A conquista é considerada histórica para o setor da pecuária. A Instrução Normativa (IN) 52, assinada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, passa a vigorar em 1º de setembro e deve ser publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira. Na semana passada, auditores do Ministério estiveram na Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural para avaliar o cumprimento das exigências feitas para a obtenção do novo status sanitário.

"Vai gerar imenso impacto na economia gaúcha. Com a retirada da vacina, o estado pode alcançar 70% dos mercados mundiais disponíveis", projeta o secretário da Agricultura. Covatti Filho salienta, ainda, que 2020 vai ser o último ano com vacinação do rebanho.

A partir do reconhecimento pelo Ministério, a Secretaria comunica a mudança para a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), que concede a certificação da evolução do status sanitário, abrindo portas para mercados não acessados pelos criadores gaúchos.

Técnicos e especialistas preveem que a retirada da vacinação tenha potencial de abrir mercados como Japão, Coreia do Sul, México, Estados Unidos, Chile, Filipinas, China (carne com osso) e Canadá. No setor dos suínos, a expectativa é de que haja um incremento nas exportações na ordem de R$ 600 milhões ao ano.

O documento também reconhece como área livre de vacinação os estados do Acre, Paraná, Rondônia e regiões do Amazonas e de Mato Grosso.




Guaiba






Publicado por: Tiago Borges E-mail: jornalismo@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais