Agricultura

Cotrijal: Trigo em bom momento e área 20% maior

Jornalista Gazeta
Junho 12 / 2020

Emerson Pinto da Silva, de Victor Graeff, sempre destina área para o trigo, mas com planejamento e segurança. Na foto com o pai, Paulo Pinto da Silva, e o técnico agrícola da Cotrijal, Gunter Barth (Clique para ver mais imagens)

Com as lavouras de cevada praticamente implantadas, o produtor da Cotrijal concentra atenção agora na semeadura da nova safra de trigo. Na região da cooperativa, expectativa é de que a área com o cereal aumente em 20%. Quem investe na cultura, olha o bom momento de preços, clima favorável, o sistema de produção ou para amenizar perdas do verão.

Tradicional produtor de trigo, Emerson Pinto da Silva, 42 anos, de Victor Graeff, vê vantagens no cereal. ''Nunca perdi lavoura de trigo. E mesmo quando a gente não colhe tão bem, compensa pela estrutura deixada no solo. Eu consegui reduzir até a buva e a soja responde bem'', garante.

Para esse inverno, a exemplo do ano passado, o associado destinou 50 hectares para o trigo. ''É torcer para que não dê geada e nem muita chuva no final. A expectativa é superar os 66 sacos/ha da safra passada'', projeta.

Além de todo o capricho na implantação da lavoura - semeadura no limpo, na velocidade e profundidade corretas para ter uma emergência uniforme de plantas - o produtor já está planejado para o devido manejo de adubação, de plantas daninhas, pragas e doenças. Para alcançar bons resultados segue à risca as orientações do técnico agrícola da Cotrijal, Gunter Barth.

Largada sem erros

É desejo de todo o produtor ver uma lavoura bem implantada e com uma emergência uniforme de plantas. Para ter um trabalho preciso, o coordenador do Programa Ciclus, Leonardo Kerber, recomenda o produtor observar as condições de clima e fazer a regulagem das semeadoras antes de colocar as máquinas no campo.

''A semeadura na velocidade certa e profundidade adequada resulta em emergência uniforme, o que facilita os tratos culturais, como a aplicação de nitrogênio. A condição do solo também é muito importante. O excesso de unidade impacta diretamente na qualidade do trabalho'', observa. Em caso de dúvidas, consulte o seu assistente técnico.


(Fonte: Ascom Cotrijal).



Compartilhe esta notícia em suas redes sociais