Geral

Novo decreto amplia permissão do funcionamento de estabelecimentos em Carazinho

Jornalista Gazeta
Março 30 / 2020

O prefeito de Carazinho Milton Schmitz anunciou algumas medidas que serão tomadas a partir desta semana no município em razão da pandemia do novo coronavírus.

O novo decreto apresenta algumas mudanças que valem a partir desta terça-feira, dia 31. A determinação aconteceu nesta tarde de segunda-feira (30) durante reunião do comitê de combate ao Covid-19 realizada na prefeitura.

Fica determinado o fechamento dos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, à exceção de:

I - farmácias, drogarias e comércio varejista de produtos de saúde e ópticos; 

II - consultórios, clínicas e laboratórios de atendimento na área de saúde; 

III - hipermercados, supermercados, fruteiras e padarias; 

V - restaurantes; 

V - postos de combustíveis; 

VI - consultórios e clínicas de serviços veterinários, agropecuárias, demais estabelecimentos de venda de produtos animais e recebimento e beneficiamentos de grãos; 

VII - bancos, instituições financeiras e unidades lotéricas; 

VIII - indústrias; 

IX - transportes de cargas e logísticas; 

X - construção civil e comércio de materiais de construção; 

XI - serviços de manutenção de reparos ou de conserto de veículos, tornearias, de pneumáticos e de elevadores; 

XII - produção, distribuição e comercialização de equipamentos, de peças e de acessórios para refrigeração, bem como os serviços de manutenção de refrigeração; 

XIII - serviços de imprensa e as atividades a eles relacionados, por todos os meios de comunicação e de divulgação disponíveis, incluídos a radiodifusão de sons e de imagens, a internet, os jornais, as revistas, dentre outros; 

XIV - templos religiosos desde que observem o limite máximo de vinte e cinco por cento da capacidade de assentos do local e adotem as providências necessárias para garantir um distanciamento interpessoal mínimo de dois metros, além dos demais cuidados de higiene, sendo vedada a realização de cultos, missas ou reuniões; 

XV - atividades de serviços contábeis; 

XVI - serviços de lavagem e higienização de veículos; 

XVII - serviços de processamento e lavagem de roupas;

O decreto diz ainda que fica vedada a abertura para o público em geral, dos estabelecimentos previstos nos incisos X, XI, XII, XIII, XV, XVI e XVII, sendo permitido o atendimento por agendamento.

Os estabelecimentos restaurantes deverão adotar as seguintes medidas: adotar o atendimento por entrega a domicílio ou no local, sendo expressamente vedada a adoção de atendimento com ''buffet''.

A prefeitura esclareceu que as escolas municipais irão seguir com suas atividades suspensas, assim como eventos que podem gerar aglomerações.

Lembrando que o decreto de calamidade pública do executivo municipal determinando o fechamento do comércio, apenas com serviços essenciais em funcionamento, começou no dia 20/03 ao meio dia e decreto original iria até o dia 04/04.

Até o momento Carazinho não registra nenhum caso confirmado da doença, mas até ontem (29) seis estavam aguardando resultado do Laboratório Central do Estado, que devem chegar nesta semana.

Clique aqui para conferir o decreto nº021. 

Manifestações

Nos últimos dias, alguns segmentos da cidade e uma parcela da população tem cobrado a retomada dos serviços, contrariando orientações da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde que alertam que o isolamento social continua sendo a melhor maneira de controlar a propagação do coronavírus. 

Inclusive neste final de semana a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), enviou um ofício aos municípios reiterando seu posicionamento pela manutenção do isolamento social como principal vetor de enfrentamento à Covid-19.  A recomendação da entidade é de que as pessoas fiquem em casa e saiam apenas em caso de necessidade, como ir ao mercado ou à farmácia. A entidade é representante dos 497 municípios do Rio Grande do Sul. 





Compartilhe esta notícia em suas redes sociais