Geral

Congresso nacional realizado na UPF é um dos maiores do país na área de Medicina Veterinária

Jornalista Gazeta
Setembro 11 / 2019

Evento que reúne profissionais, estudantes e pesquisadores da área de Medicina Veterinária de todo o Brasil, o XIII Congresso Brasileiro de Buiatria, realizado pela primeira vez em solo gaúcho, na cidade de Passo Fundo, teve sua abertura oficinal na noite de terça-feira, 10 de setembro. O evento é realizado pela Universidade de Passo Fundo (UPF), em parceria com a Associação Brasileira e a Associação Gaúcha de Buiatria. A atividade conta com mais de 550 participantes oriundos de 20 estados brasileiros e promove 42 palestras e diversas oficinas relacionadas à área de Medicina Veterinária. Além disso, participam do Congresso palestrantes do Brasil, dos Estados Unidos, da Espanha, da Argentina e do Uruguai, que são referência em diversos segmentos da área. 

O Dia do Médico Veterinário, comemorado em 9 de setembro, foi lembrado pelas lideranças presentes no evento. A buiatria é um campo da Medicina Veterinária que estuda e trabalha especificamente com animais ruminantes, como é o caso de bovinos, bubalinos, ovinos e caprinos. Segundo o professor do curso de Medicina Veterinária da UPF e atual presidente da Associação Brasileira e Gaúcha de Buiatria, Dr.  Ricardo Zanella, promover o evento no Rio Grande do Sul foi uma conquista muito grande para a buiatria gaúcha e que só foi possível devido ao apoio da Prefeitura Municipal de Passo Fundo e da UPF. "Essa é a primeira vez que estamos trazendo esse evento para o estado, então, é uma conquista muito grande para nós, que fundamos uma Associação de Buiatria Gaúcha há pouco tempo. Contamos com participantes de diversos estados, centenas de inscritos, então, podemos dizer que esse é um dos maiores eventos da Medicina Veterinária do RS nos últimos anos. Durante o Congresso, ocorrerão palestras em diferentes áreas, tais como pequenos ruminantes, clínicas, cirurgia, produção, reprodução ou melhoramento genético", destacou.

Para a reitora da UPF, professora Dra. Bernadete Maria Dalmolin, é uma alegria a Universidade fazer parte de um evento tão importante, sendo o Congresso uma oportunidade para a socialização de conhecimento e a integração entre a academia e os profissionais do mercado. "É muito importante podermos oferecer a esse grande público um conjunto de trabalhos no campo científico, ouvir os conferencistas sobre aquilo que há de mais evoluído nesse campo e ao mesmo tempo dar continuidade a esse vínculo entre a ciência e a realidade do campo. Acho que é isso que as instituições comunitárias têm e conseguem fazer com maestria, e, para nós, é uma alegria ter pessoas que fazem ciência de ponta aqui dentro, interagindo com referências no Brasil e no mundo", disse. 


Cursos de ciências agrárias da UPF são referência no estado 

A UPF é uma das mais importantes instituições comunitárias do estado e a Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária (FAMV) é destaque nas áreas das ciências agrárias, recebendo pelo quarto ano consecutivo o prêmio da revista A Granja durante a Expointer 2019. De acordo com o diretor da FAMV, professor Dr. Eraldo Zanella, são mais de 1.200 médicos-veterinários formados atuando em todo o país. "É um prazer muito grande recebermos um evento da classe veterinária aqui. Nosso curso foi criado há cerca de 23 anos, com o propósito inicial de atender a uma demanda da região voltada aos animais de produção", disse. 

Com uma infraestrutura invejável, a UPF conta com 58 cursos de graduação, 15 de mestrado e 8 de doutorado e com 62 cursos de especialização em andamento, tendo formado mais de 80 mil profissionais desde sua criação.  A FAMV conta com um hospital veterinário e uma fazenda escola de 270 hectares, a qual dispõe de uma área para o desenvolvimento de atividades agrícolas e zootécnicas, espaço onde, durante o Congresso de Buiatria, irão ocorrer minicursos para o desenvolvimento da parte prática de atualização dos veterinários de campo e treinamentos para os acadêmicos.  


Melhoramento leiteiro em debate

A região de Passo Fundo abriga 60% da bacia leiteira do Rio Grande do Sul. A palestra de abertura contou com a participação do Dr. João Walter Durr - Council on Dairy Cattle Breeding, que falou sobre as "Perspectivas para o melhoramento leiteiro após uma década de avaliações genômicas". Conforme Durr, a produção leiteira, tipicamente de produção familiar, vem se transformando aos poucos. "Hoje, a grande razão pela qual se aumenta a produtividade é a gestão da propriedade que evolve tanto a parte financeira quanto questões relacionadas a pastagens, alimentação e genética dos rebanhos. Trabalho na área de genética nos EUA, então, se busca selecionar animais que venham não apenas produzir mais leite, mas animais que sejam mais saudáveis, que tenham uma vida produtiva maior, que se adaptem ao ambiente, tendo uma qualidade de vida melhor e que atinjam as expectativas do consumidor", explicou.

Segundo o palestrante, o consumidor de leite no mundo inteiro está mais preocupado em saber como o alimento é produzido, quais são as consequências não apenas para o consumo humano, mas para os animais da cadeia de produção, por isso, é importante fazer com que a produção de leite seja compatível com as expectativas do mercado. "O grande desafio é essa profissionalização do produtor para que tenha uma produção econômica e que essa qualidade do leite seja compatível com os objetivos sanitários e do consumidor", finalizou. 

O evento de abertura contou com apresentação da Big Band UPF e com a presença de diversas autoridades. Além do vice-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários, Dr. Rogerio da Silva,  estiveram presentes o deputado estadual Rodrigo Lorenzoni, representando a Assembleia Legislativa do RS; o secretário municipal Edson Nunes, da Secretaria de Transparência e Relações Institucionais, representando a Prefeitura Municipal; José Arthur de Abreu Martins, representando o Conselho Federal de Medicina Veterinária; Rodrigo Bender, representando o Conselho Regional de Medicina Veterinária; e o professor do curso de Medicina Veterinária e coordenador do Serviço de Análise de Rebanhos Leiteiros (Sarle) da UPF, Dr. Carlos Bondan.

O XIII Congresso Brasileiro de Buiatria segue até sexta-feira, dia 13 de setembro. A programação completa do evento pode ser acessada pelo link https://www.congressobuiatria.com.br/.


Coffee Break é produzido pelo Cepa UPF

Os participantes do Congresso poderão apreciar os alimentos produzidos dentro da UPF. A produção do coffee break para o Congresso foi feita principalmente pelo Laboratório de Cereais do Centro de Pesquisa em Alimentação (Cepa/UPF), com a participação do curso de Engenharia de Alimentos. Foram produzidos pães rústicos, hambúrgueres, cucas, bolos, iogurtes, doces de leite, mini pizzas, entre outros salgados e doces. 


(Fonte: Ascom UPF. Foto: Jéssica França).


Compartilhe esta notícia em suas redes sociais