Geral

IPE Prev corta 118 pagamentos de pensões a filhas solteiras, e prazo para recadastramento vai até outubro

Jornalista Gazeta
Julho 11 / 2019

No dia 7 de outubro se encerra o prazo do recadastramento obrigatório das pensionistas ativas filhas solteiras do IPE Prev. O atendimento da medida garante a continuidade de recebimento do benefício. Das 10.037 pensionistas filhas solteiras do IPE Prev - correspondem a 22% do universo de 44 mil pensionistas -, mais de 80% já se recadastraram, informa o diretor-presidente do IPE Prev, José Guilherme Kliemann. Por inconsistência de informações, 118 pensões foram cortadas pelo instituto nos últimos anos. A economia acumulada é de R$ 15,4 milhões.

O recadastramento, informou Kliemann, visa comprovar a permanência dos requisitos que justifiquem a manutenção do benefício da pensão por morte e a observância do limite remuneratório estabelecido na Constituição do Estado (parágrafo 7° do artigo 33). As 118 pensões de filhas solteiras canceladas por sindicâncias são relativas ao período de julho de 2015 a julho deste ano. Em 2018, conforme o IPE Prev, o custo médio mensal das filhas solteiras pensionistas foi de R$ 41,068 milhões, ou R$ 492,8 milhões no ano todo.

As irregularidades constatadas vieram da inconsistência de dados apuradas pela comissão de sindicância instituída pelo IPE Prev. Um exemplo é o fato de as filhas, embora se declarassem solteiras, serem casadas ou em união estável. Em 2015 foram canceladas 42 pensões, em 2016 outras 20 pensões, em 2017/2018 mais 32 pensões e até 30 de junho deste ano, 24 pensões. Em 2000, o pagamento das pensões às filhas solteiras foi extinto, isto é, não mais recebido por ninguém. Os pagamentos atuais são decorrentes do período anterior.

Em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (11/7), o diretor-presidente do IPE Prev destacou a questão das aposentadorias e pensões como o principal fator de despesas do Estado. Cerca de 50% da arrecadação do ICMS, exemplificou Kliemann, são destinadas ao pagamento de benefícios previdenciários. ''E a expectativa de vida dos servidores, aqui no Estado, se aproxima da observada nos países do norte da Europa, rumo aos 90 anos de idade'', ilustrou. O recadastramento, portanto, busca cumprir a determinação da lei e aprimorar a informação do planejamento financeiro.


Veja a estratificação dos pagamentos mensais de pensões a filhas solteiras:


5.187 52% até R$ 2 mil

2.355 23% entre R$ 2 mil e R$ 5 mil

1.384 14% entre R$ 5 mil a R$ 10 mil

608 6% entre R$ 10 mil a R$ 15 mil

246 2% entre R$ 15 mil e R$ 20 mil

280 3% acima de R$ 20 mil


Veja o perfil das pensionistas filhas solteiras:


3.975 39,60% de 60 a 69 anos

2.376 23,67% entre 50 e 59 anos

2.100 20,92% entre 70 e 79 anos

107 entre 90 e 100 anos


Novo site

Para facilitar a vida dos pensionistas, o instituto vai lançar em setembro um novo portal. Em um pedido, em especial, às filhas solteiras, o IPE Prev apela para que forneçam o e-mail e o número do telefone celular. ''O endereço eletrônico do beneficiário é uma informação preciosa. Com esses dados queremos estreitar o contato para fins de informação sobre novidades. Dentro dos próximos anos, o IPE deixará de ser analógico e passará a ser digital. Nesse período de transição vamos ajudar os pensionistas com as novas ferramentas'', disse Kliemann.

O novo site auxiliará no acesso a dados e na simplificação de caminhos aos usuários do IPE Prev. ''O instituto está cada vez mais transparente em termos de informação, de datas e de números'', lembra o diretor-presidente. Várias atividades que hoje ainda exigem formulário em meio físico, ou a presença física na sede do IPE Prev, passarão a ser feitas por meio de plataformas eletrônicas como, por exemplo, o computador, tablet ou do telefone do pensionista.


Modernização

Quanto à modernização dos serviços, o instituto já implantou neste ano o autoatendimento (no térreo) com computadores e impressoras. Também foram adotadas visitas domiciliares para atender pensionistas com mais de 95 anos, residentes em grande parte entre Porto Alegre e Região Metropolitana (52% das não recadastradas residem nesta área). A visita também serviu para a renovação do benefício. Cerca de 18,93% das pensionistas não residem no Rio Grande do Sul.

Por fim, o IPE Prev está reforçando colaboração com a Polícia Civil: será firmado acordo com delegacia especializada, através da chefia de polícia, para fins de identificação de eventuais fraudes no recebimento dos benefícios previdenciários. O instituto, desde maio passado, estabeleceu parceria com o Sindicato dos Registradores Públicos do Estado (Sindiregis) que, em poucas horas, informa ocorrência de óbito de beneficiários.


Como se recadastrar


O recadastramento pode ser feito de duas formas: clicando aqui ou presencial no autoatendimento, no térreo do IPE Prev, na avenida Borges de Medeiros, 1.945, em Porto Alegre, com a orientação de servidores do instituto.

Entre os dias 27 de fevereiro e 31 de junho, 8.049 pensionistas ativas na data do recadastramento haviam se recadastrado - 2.018 não fizeram. Nesse período pode ter ocorrido de algumas ativas se tornarem inativas (não renovação, óbito, sindicância) e o contrário: inativas se tornarem ativas por atualizarem seus dados.


Compartilhe esta notícia em suas redes sociais