Geral

MP firma acordos para preparação e inclusão profissional de acolhidos de porto alegre

Ana Maria Leal
Julho 01 / 2019

Dezenas de sorrisos adolescentes iluminaram a manhã desta quinta-feira, 27, nas dependências do Sine, em Porto Alegre. Por meio do projeto ?Consciência Sine- Primeiro Emprego?, 147 jovens acolhidos em sete locais, entre abrigos e casas lares da Capital, foram beneficiados e passaram o dia em diversas atividades, como dinâmicas de integração, sensibilização sobre o mercado de trabalho, rodas de conversa, orientação sobre uso de redes sociais, entrevistas e confecção de currículo.

 

RESULTADO CONCRETO

Durante todo o dia de atividades no Sine, 83 jovens fizeram cadastro na Intermediação de Mão de Obra, ou seja, pela primeira vez fizeram seu cadastro junto ao Sine, estando à disposição para as vagas ofertadas no sistema local. No local, foram confeccionadas 10 Carteiras de Trabalho e as demais serão confeccionadas posteriormente. Além disso, 38 contratos para estágio foram assinados e 40 novos currículos foram confeccionados.

O projeto está incluído no conjunto de ações que estão sendo desenvolvidas, com apoio do Ministério Público, para dar melhores chances de trabalho aos jovens, que ao completar 18 anos precisam deixar o acolhimento institucional e enfrentam muitas dificuldades para ingressar no mercado de trabalho.

A promotora de Justiça da Infância e Juventude de Porto Alegre, responsável pelo acolhimento, Cinara Vianna Dutra Braga explica que o MP tem atuado como articulador para viabilizar a conclusão dos estudos, bolsas de graduação e, especialmente, fomentar ações profissionalizantes, como esta realizada no Sine. ''São jovens que sofreram muito na vida, em grande parte vítimas de abandono, negligência ou violência familiar e, por consequência, foram afastados da família. Essas circunstâncias delicadas e tristes implicam em sequelas psicológicas e atraso escolar. Isso gera um efeito dominó, que faz com que muitos deles não terminem o ensino médio. Por isso, a profissionalização fica comprometida e, justamente para reverter esse quadro, as entidades precisam, cada vez mais, se unir e propor alternativas'', explica Cinara.

 

ACORDOS DE COOPERAÇÃO TÉCNICA E PROTOCOLO DE INTENÇÕES

A promotora reitera que a ação do Sine está incluída em Protocolo de Intenções que celebraram entre si, na última quarta-feira, 26, o Ministério Público, o Movimento Coletivo Porto Alegre Inquieta, a Fundação de Assistência Social e Cidadania de Porto Alegre e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e o Adolescente, para a realização de ações positivas voluntárias em prol das crianças e adolescentes acolhidos institucionalmente no município de Porto Alegre.

Na mesma ocasião, o Ministério Público, a Associação Brasileira de Recursos Humanos - RS, a Fundação de Assistência Social e Cidadania de Porto Alegre e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, firmaram Termo de Cooperação Técnica para a preparação e inserção de adolescentes acolhidos institucionalmente no mercado de trabalho, por meio de mentoria voluntária por profissionais de recursos humanos, pelo prazo de dois anos.

 

(Fonte: MPRS). 


Publicado por: Ana Maria Leal E-mail: anamaria@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais