Geral

Advogado fala na Gazeta sobre arquivamento de inquérito de cliente falsamente acusado

Jornalista Gazeta
Junho 15 / 2019

O advogado Manuel Castanheira participou do programa Lado a Lado Com a Notícia nesta semana para tornar público um fato que é favorável ao seu cliente, cujo nome prefere não divulgar, mas que foi preso em flagrante no início deste ano, em ocorrência em janeiro registrada na delegacia de polícia de Carazinho pela prática de crime de cárcere privado e estupro.

''Foi um fato amplamente divulgado mas sem divulgação de nomes na época nem antecipação de qualquer tipo de condenação ao meu cliente, o que foi corroborado pelo inquérito policial'', disse o advogado.

Em seguida, quando ingressou na defesa do cliente, conseguiram apresentar para juntar ao inquérito gravações, filmagens do ambiente onde o fato teria ocorrido, fotos e principalmente as conversas do aplicativo watts demonstrando que a então vitima do estupro era pessoa que estava falseando, sendo mentirosa com a justiça.

Conforme Manoel Castanheira a delegada de polícia de Carazinho optou pelo arquivamento do inquérito policial, pediu ao ministério público, que também seguiu arquivamento, com ciência do poder judiciário, e tornaram a então vitima em alguém que hoje responde a processo de falsa comunicação de ocorrência policial.

''Dessa forma fico muito contente em vir a Carazinho ver essa decisão tão séria de um crime sempre preocupante, mas alertar sempre a população que os crimes de estupro, de violência contra a mulher são sempre muito sérios, sou um defensor ferrenho de que quem comete esses crimes sejam punidos, mas nunca a mentira imputando falsa prática de crime vai diminuir os grandes índices de violência doméstica que existem no Brasil, vamos desonerar o judiciário e a policia desses encargos de falsidade e tentar punir pessoas inocentes, que era o caso do meu cliente, e pela prova do arquivamento do processo, antes de ser denunciado''.

Seu cliente, apesar de ter o nome mantido em sigilo pelo caso ter transcorrido em segredo de justiça, fez questão que o esclarecimento se tornasse público e compareceu na sede do Grupo Gazeta acompanhado do advogado.

''Ele fez questão desse esclarecimento pontual para ver que a pessoa presa em janeiro foi inocentada pelos meios policiais e pelo judiciário, é a justiça sendo feita com absolvição plena dele nesse momento'', ressaltou Manoel Castanheira.


Compartilhe esta notícia em suas redes sociais