Educação

Pesquisas na UPF desenvolvem tecnologias para monitorar redes de computadores

Jornalista Gazeta
Junho 11 / 2019

Pesquisas realizadas no Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada da Universidade de Passo Fundo (PPGCA/UPF) têm como tema comum o "Monitoramento de redes de nova geração". Cada vez mais, a internet se torna fundamental no dia a dia das pessoas. Com isso, mais tráfego de rede é gerado e mais atenção é necessária no monitoramento do tráfego e dos serviços que compõem a internet como um todo. Pensando nesse cenário, os mestrandos Alisson Zanetti e Pedro Camera, orientados pelos professores Dr. Marco Trentin e Dr. Ricardo Schmidt, pretendem implementar uma solução completa de monitoramento de redes de nova geração.

As redes de computadores evoluíram muito no decorrer dos anos e, desde a popularização da internet nos anos 1990, o tráfego de dados aumentou e cada vez mais se fez necessário o monitoramento das informações. "Dada a complexidade das redes de computadores que formam a internet como conhecemos, e também a quantidade de dados transmitidos pela rede, que cresce a cada dia, o monitoramento é fundamental para auxiliar na gerência das infraestruturas", observa um dos orientadores da pesquisa, professor Schmidt. 

O monitoramento feito pelos mestrandos da UPF compreende desde a captura de pacotes e registro de informações e estatísticas de tráfego até a ferramenta de visualização dessas informações, que seria, por exemplo, utilizada por um engenheiro de tráfego ou gerente de redes. "Essa solução vai auxiliar os responsáveis pela rede no entendimento do comportamento e situação da rede que se estende por diversos países de diferentes continentes", pontua o orientador.

Nas pesquisas do PPGCA, o objetivo é o transporte de dados sensíveis, coletados por telescópios e utilizados em pesquisas em astronomia, de um ponto A na América do Sul até um ponto B nos Estados Unidos. "Esses dados passam por diversos equipamentos no longo caminho de conexão intercontinental e cada um desses equipamentos pode eventualmente se tornar um ponto de falha na comunicação, resultando na perda de dados com consequências na pesquisa final", explica o professor. 

Os mestrandos desenvolvem um novo sistema de monitoramento baseado em algumas tecnologias de ponta, ainda não bem exploradas na área de redes de computadores. Essas tecnologias dão uma maior flexibilidade no monitoramento e gerenciamento de redes de computadores, permitindo saber, por exemplo, o exato ponto de falha em uma comunicação entre os pontos A e B localizados em diferentes continentes e interconectados por diversos equipamentos de rede. "Essa pesquisa é considerada de ponta e revolucionária, justamente pelo fato de que há pouca literatura abordando os conceitos e tecnologias utilizadas pelos mestrandos", revela Schmidt.

 

Colaboração de universidade da Flórida

A pesquisa tem a colaboração da Universidade Internacional da Florida (FIU), que coordena o projeto AMPATH, responsável por redes de computadores que interligam as Américas. A partir do suporte prestado pelo colaborador Me. Jeronimo Bezerra (FIU), as pesquisas da UPF contam com tecnologia de ponta, na qual os experimentos são realizados em cenários e equipamentos reais, dando assim maior credibilidade aos resultados dos trabalhos dos mestrandos e facilitando a transferência de conhecimento (da pesquisa para aplicação real).

 

Importância

No cenário específico em que os mestrandos estão trabalhando ? envio de dados capturados por telescópios para pesquisadores nos EUA ?, tanto a qualidade quanto a velocidade com que os dados chegam ao destino é muito importante. A qualidade pode interferir, por exemplo, no descobrimento de uma nova estrela, e a velocidade pode garantir que os pesquisadores descubram algo novo antes que outros pesquisadores ao redor do mundo. "O monitoramento da infraestrutura de redes se torna fundamental nesse caso, para garantir velocidade e qualidade na entrega dos dados, pois por meio dele podemos observar e entender o comportamento da rede, reagindo e solucionando eventuais problemas de forma rápida a fim de garantir as métricas de qualidade desejadas", salienta o orientador das pesquisas.

 

Fomentando novas pesquisas

Os mestrandos devem terminar suas respectivas pesquisas até o início de 2020. O trabalho está abrindo campos e projetando futuras linhas de pesquisa na área de monitoramento de redes utilizando as tecnologias de ponta e cenários de aplicação obtidos por meio da colaboração com a FIU. "Já temos outras ideias que novos alunos de mestrado poderão trabalhar. As tecnologias que estamos utilizando são consideradas o futuro para o monitoramento de redes. Não são mais apenas promessas, mas estão se tornando realidade através de trabalhos como o dos nossos mestrandos", enfatiza Schmidt.

 

(Fonte: Ascom UPF).

Compartilhe esta notícia em suas redes sociais