Política

Acusada de distorção das informações, Rádio Gazeta divulga áudios sobre notícia do IPE

Jornalista Gazeta
Junho 06 / 2019

Rádio Gazeta AM foi acusada pelo vereador Márcio Hoppen, o Guarapa (MDB), em postagem nas redes sociais, de ter distorcido as informações na matéria publicada nesta semana com o título ''Exposta na câmara questão política que impede reabertura do IPE em Carazinho'', e de não ter tido oportunidade de se manifestar após a publicação, conforme solicitou na terça-feira, dia 4.

A entrevista solicitada por ele não foi marcada para a quarta, dia 05, pois toda a programação foi feita da praça Albino Hillebrand na campanha Aqueça-Me, exclusivamente para divulgação da ação. Na quarta foi respondido ao vereador que ele poderia participar nesta quinta, dia 6, às 13h30min. Ele informou que já tinha compromisso, a reunião da comissão interna da câmara, e sugeriu como data a próxima segunda-feira, dia 10, data confirmada, quando vai participar do Lado a Lado Com a Notícia.

Em razão da acusação de ter distorcido as informações, e apenas por esse motivo, repetimos aqui a notícia, desta vez com cada um dos áudios, para que possam ser conferidos por todos, se as transcrições inseridas no texto são diferentes do que consta nos áudios.

 

''Exposta na câmara questão política que impede reabertura do IPE em Carazinho''

 

O vereador líder do governo municipal na câmara, Márcio Hoppen, o Guarapa (MDB), esclareceu durante a sessão ordinária desta segunda-feira (03) que a questão político-partidária impede a reabertura da agência do IPERGS na cidade de Carazinho. 

Foi ao responder o vereador tucano João Pedro Albuquerque de Azevedo que havia levantado o assunto expondo o não interesse do município em retomar o convênio.

Guarapa deixou claro que o convênio existente até então no governo do MDB com José Ivo Sartori agora não é mais responsabilidade do seu partido, e sim do partido do atual governo Eduardo Leite, o PSDB.

''_Houve um apontamento de que era possível fazer (o convênio) mas não era legal, o município fica à disposição, mas temos que começar a colocar o fardo nas costas de quem compete, o que é do estado é do estado, o que é do município é do município, o que é da união, é da união, o fardo já é carregado demais pelos municípios, Carazinho tem muita coisa pra ser feita, muitas ruas pra ser asfaltada, muitas vagas de creches, limpeza do município, não pode começar agora a absorver problemas do estado, da união, daqui a pouco vai faltar para suas demandas locais. Tem que ter articulação politica com o estado João. Hoje o governador é do teu partido, como nós tivemos articulação quando o Sartori era governador e mantivemos o IPE aberto por esse tempo, inclusive com uma funcionaria do teu partido, a Cecilia Bertoldi, uma excelente profissional, escolhida a dedo, foi estendido o convite a ela, que aceitou, uma afilhada do teu partido, de oposição, principalmente por  tua parte, de oposição radical ao governo municipal, e ela aceitou e ficou cuidando do IPE dois anos, bem tranquilo. Isso se chama construção política, talvez tu tem que ter mais espaço com o estado, articulação com os deputados, e vai conseguir realocar um funcionário, porque é impossível o estado com 300 mil funcionários públicos, Carazinho com 1.500 ter que ceder um funcionário, se está faltando monitor, faltando operador, faltando professor, faltando vigia, segurança, falta muita coisa pro nosso município para começar a absorver essas demandas''.



O vereador João Pedro disse que acreditava no interesse do município em manter reaberto o IPE independente da questão partidária. 

''_Esse fardo me foi colocado justamente por ser do partido, fui atrás para tentar atender a demanda do município, até então havia manifestação do município de manter apesar essa posição, dando favorável ao convênio dessa forma a partir dos fundamentos apresentados por precedentes do tribunal dando conta, favorável à manutenção dessa forma. Diante dessa situação acredito que houve mudança de posição por essa interferência. Fico confuso, recebi esse fardo e quando se consegue a manutenção do convênio tal como havia pelo governo anterior, do Sartori, do MDB, agora não se quer mais, isso me levou a ficar frustrado com a situação, realmente acreditava que seria firmado esse convênio como estava antes''.


Guarapa rebateu, encerrando o assunto, dizendo que foi a participação do tucano nas tratativas que impediu o avanço da reabertura. 

''_Me desculpa, mas daqui a pouco a tua presença seja até nociva nessa construção, você interferindo atrapalhou uma construção política que poderia ser efetuada logo aqui na frente, porque quando uma andorinha só não faz verão muitas vezes ela atrapalha um processo que poderia estar bem encaminhado''.



O pedetista Alaor Tomaz também se pronunciou a respeito chamando atenção primeiro para o bom relacionamento que mantém com o líder do governo, e depois pedindo que, em se tratando de uma questão que abrange um grande número de pessoas seguradas do IPE, -lembrando que ele próprio é uma delas-, não se pense em partido A ou partido B, mas na necessidade desses muitos usuários que com esse fechamento precisam se deslocar a Passo Fundo para dispor do serviço prestado pelo órgão.

 

 

 

Compartilhe esta notícia em suas redes sociais