Agronegócio

Altas temperaturas aceleram maturação e colheita do milho

Jornalista Gazeta
Fevereiro 10 / 2019

As condições climáticas predominantes do início do mês ? de tempo seco, altas temperaturas e forte radiação solar ? aceleraram a maturação do milho. Assim, a colheita avançou e alcança 28% da área plantada no estado.

De acordo com o Informativo Conjuntural da Emater-RS/Ascar, divulgado na quinta-feira (7), o trabalho que é realizado agora na lavoura garante grãos com umidade adequada, que proporciona melhor debulha das espigas e maior rendimento da colheita.

Contudo, as mesmas condições de temperatura aceleram a evapotranspiração (perda da água do solo) que, de forma isolada, faz manifestar sintomas de estresse hídrico (escassez de água), amenizado por chuvas do decorrer da semana.

A colheita avança rapidamente neste período, em paralelo ao segundo plantio da safra 2018-2019. No norte do estado, 80% do milho está colhido. Na Campanha, 80% da cultura se encontra em estado vegetativo.

A produtividade das lavouras continua boa, com exceção das cultivadas em áreas que estavam prontas para a colheita e foram afetadas pela enchente na Fronteira Oeste, região em que haverá perda da qualidade no milho, apresentando grãos ardidos, mofados e germinados na espiga.

Muitas lavouras estão superando a expectativa de produtividade média de 6,8 mil kg/ha, com relatos de que na fronteira Noroeste e Missões há lavouras de milho sequeiro produzindo até 9 mil kg/ha. E lavouras irrigadas com produtividade acima de 12 mil kg/ha, o que caracteriza uma grande safra.

Soja

A cultura da soja no Rio Grande do Sul está em estágio reprodutivo, com pouco mais da metade das lavouras (52%) em enchimento de grãos e 37% em floração. As lavouras apresentam bom desenvolvimento, com exceção das áreas que foram alagadas em janeiro.

Arroz

A cultura do arroz está na fase majoritária de floração (37%) e de enchimento de grãos (32%), além de já apresentar início de colheita em lavouras na Fronteira Oeste, nos municípios de São Borja e Itaqui, mas que ainda não chega a 1% da área estimada para o estado.




(Fonte: Governo do RS)



Compartilhe esta notícia em suas redes sociais