Economia

Turismo de compras se torna característica do comércio de Carazinho

Jornalista Gazeta
Janeiro 11 / 2019

A abordagem foi feita pelo professor doutor Gilmar Mantovani Maroso ao analisar o cenário econômico atual em Carazinho, durante entrevista para a Rádio Gazeta na quarta-feira (09), participando do programa Lado a Lado Com a Notícia.

Tem se notado nos últimos meses que pessoas de outras cidades se deslocam para Carazinho a fim de aproveitar promoções na hora de abastecer devido às promoções dos postos da rede Boa Vista, que é também de supermercados, e isso acaba aquecendo a economia do setor.

''_Carazinho ainda não tem despertado um potencial de turismo, que poderia atrair pessoas, mas tem o turismo de compras, na área de comida e combustível, o que também é muito bom, é benéfico para a economia da cidade. Temos duas universidades, que atraem alunos, uma rede supermercadista que não deixa nada a desejar a Passo Fundo, e Carazinho começa a ter com isso um custo de vida mais baixo do que de outras cidades, é positivo, à medida que mais gente vem comprar aqui na rede de supermercados, abre mais uma vaga de atendente, ou seja, criando vagas de emprego nessa área, é bom, mas tem que considerar que são salários não tão altos, medianos, o que é característico desse tipo de emprego''.

Além disso, o especialista em Economia falou sobre o momento oportuno que é o início de ano para as pessoas pensarem num planejamento financeiro para o ano todo, a curto prazo, como contas, colocar em dia o atrasado.

A observação acontece em razão de pesquisa da Confederação Nacional de Lojistas que apontou em pesquisa recente que os brasileiros querem sair do vermelho e pagar contas.

''_Se sobrou algo do 13º salário, por mais que a pessoa saia em férias, dê um passeio, tem o fluxo de salário um pouco maior com a antecipação das férias, o que é interessante, o momento oportuno para colocar as contas atrasadas em dia, o limite de cartão que tem um juro absurdo, o maior do mundo, no cheque especial e cartão de crédito, então, dentro dessa linha, a expectativa é de que o novo governo comece a trabalhar com esses absurdos financeiros. O setor que mais ganha dinheiro sobre o patrimônio imobilizado, que é o patrimônio liquido, é o sistema financeiro, conseguem fazer 17%, 20%, 22% sobre o patrimônio liquido, enquanto que a indústria, quando é muito competitiva, consegue 7%, 8%, e o setor supermercadista, 2%''.



Compartilhe esta notícia em suas redes sociais