Região

Vereador de Não-Me-Toque entra com ação contra o governo do estado devido a situação irregular da ERS 142

Jornalista Gazeta
Outubro 04 / 2018

A iniciativa é do vereador Charles Morais (PP) e diz respeito a rodovia no trecho de Não-Me-Toque até Carazinho. Em entrevista para a Rádio Gazeta AM ele lembrou que a ERS 142 foi construída em 1954 e que atualmente, após vários trabalhos de recapeamento, tapa-buracos, e outros tantos procedimentos para tentar amenizar os problemas da rodovia, após levantamento, foi constatado que a rodovia não está nos padrões exigidos por lei, que sua largura não é a suficiente.

Conforme o vereador, de acordo com as normas de projetos rodoviários do DAER trata-se de uma via importante do tipo Longitudinal. A largura da pista é medida pelo chamado VDM que significa o volume diário médio de veículos que transitam por aquela via.

''No ano 2000 foi feito um levantamento pelo DAER e chegou-se ao número de quase dois mil e quinhentos veículos por dia. Atualmente estamos ano de 2018 e o número de veículos que por ali passa deve ter aumentado exponencialmente'' observa Charles, chamando a atenção para números apontando que para uma rodovia com essa quantidade de trânsito de veículos e por ser uma ERS de número 142 deveria ter uma largura de pista de 7 metros. Porém, a pista possui em alguns trechos 6,25m, em outros 6,15m e até alguns com 6 metros.

Ele considera ainda mais grave o fato de haver um desnível da pista para as laterais fazendo com que exista de cada lado da pista um degrau de, em média, 13cm de altura do asfalto para o chão o que faz muitos veículos perderem o controle, caso alguma das rodas saia do asfalto.

A RS 142 já passou por várias manutenções e recapeamentos, e toda vez que era realizada essa manutenção a largura da estrada diminuía um pouco, aponta o vereador. ''Da última vez em que realizaram o recapeamento a largura diminuiu tanto que hoje temos o absurdo de em alguns trechos haver apenas 6 metros de largura total. Somente das faixas pintadas deveriam ter no mínimo 15 cm de cada lado fazendo com que a rodovia aumentasse 30cm e nem isso existe''.

Por esses motivos Charles entrou com uma ação na justiça contra o governo do estado do Rio Grande do Sul. ''Como cidadão senti a obrigação de fazer isso para que o estado refaça a rodovia, nos padrões corretos, não adianta mais recapeamento, largar mais capa de asfalto, aumentar o degrau e aumentar a pista, quero que refaça nos padrões obrigatórios conforme o próprio Daer e Dnit''. Segundo ele para que o processo fosse bem embasado foram colhidas provas que compõe o material protocolado junto ao fórum, que prevê multa de R$ 15 mil ao dia caso o estado não cumpra com essa obrigação.

''Estamos todos cansados de promessas que não são desse governo apenas, pois muitos governos tapam o sol com a peneira. Se não fosse a Expodireto, nem tapa-buracos essa estrada receberia''.

Antes dessa iniciativa o vereador Charles mobilizou em 2014 a comunidade regional através de manifestações que fecharam a via, e elaboração de um abaixo com 8 mil assinaturas pedindo providências para garantir melhor trafegabilidade e segurança dos usuários.



Compartilhe esta notícia em suas redes sociais