Polícia

MP recorre e obtém internação do menor que matou a adolescente Clara em Carazinho

Jornalista Gazeta
Setembro 13 / 2018

O Ministério Público recorreu da decisão do poder judiciário, que tinha indeferido (negado) o pedido de internação do adolescente de 17 anos que matou a jovem Clara Rodrigues de Souza, e o Tribunal de Justiça  reformou a decisão decretando a sua internação.

Com a decisão, a equipe da Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA) de Carazinho, que tem à frente a delegada Heládia Ane Cazarotto, foi até a casa do menor na noite desta quinta-feira (13), o apreendeu, e encaminhou para internação no Centro de Atendimento Sócio-Educativo (Case) na cidade de Passo Fundo.

O nome dele não é divulgado conforme a lei referente aos menores infratores.


O crime

Clara Rodrigues de Souza, 16 anos, moradora do bairro Vila Rica, em Carazinho, foi morta brutalmente em sua casa no dia 21 de junho deste ano.

Em entrevista concedida para a Rádio Gazeta no dia 06 de setembro a delegada Heládia falou sobre a conclusão da investigação que apontou um menor como autor. O motivo do crime foi ter se declarado para a jovem e não ter sido correspondido nos seus sentimentos.

Nas buscas feitas à época na casa do menor, a polícia encontrou enterrado no quarto, embaixo de uma madeira recentemente pregada, o carregador do telefone da Clara que havia sumido no dia em que ela foi morta.

Ao fim da apuração foi solicitada a internação do menor, negada pela justiça, até a recente reversão da decisão. 


Compartilhe esta notícia em suas redes sociais