Expodireto

Pavilhão Internacional receberá delegações de mais de 70 países

Ana Maria Leal
Março 06 / 2018

O Pavilhão Internacional é um dos pontos de presença obrigatória na Expodireto Cotrijal, feira do agronegócio que este ano está em sua 19ª edição, e que se realiza em Não-Me-Toque/RS, de 5 a 9 deste mês de março. A área internacional recebe, a cada ano, uma média de 70 delegações de países dos mais diferentes cantos do mundo. Esta movimentação de estrangeiros acaba por reunir, também, um grande número de empresários brasileiros com foco em negócios futuros com o exterior, principalmente na cultura de grãos, como a soja e o trigo.

''Este ano nós tivemos um acréscimo interessante dos países árabes. Hoje, terça-feira, estão chegando duas entidades com representação, bem focadas e interessados em grãos, principalmente soja, trigo e milho. E neste ano, a novidade é que vem em busca de implementos também'', destaca um dos coordenadores da área internacional, Leonardo Einsfeldd.

Este ano o Pavilhão Internacional conta com as parcerias do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

 

Rodadas internacionais e de investimentos

''Estamos nesta parceria para incluir, além das tradicionais rodadas internacionais de negócios com estrangeiros, rodadas de investimentos, que estão superando as nossas expectativas, onde o pessoal de fora do país está vindo investir em projetos dos expositores e de entidades que estão participando do Pavilhão. Ontem e hoje tivemos um bom volume de negócios, com projetos interessantes, e resultados significativos'', diz Leonardo Einsfeldd.

Ainda em se falando no foco principal de negócios dos estrangeiros na Expodireto Cotrijal, o grande mote são os grãos. Porém, nesta 19ª da feira, a novidade é que está havendo interesse pelas frutas. Delegação de Roraima, voltada à área, está presente na feira, conhecendo os expositores e tendo um importante contato com delegações estrangeiras vislumbrando negócios futuros, com intermediação das equipes do Pavilhão Internacional, e resultado da parceria com o Ministério da Agricultura.

 

Negócios com a Nicarágua

O trabalho em torno da presença de estrangeiros no Pavilhão Internacional, e para quantas delegações oferecerá seus serviços e sua estrutura ao longo de determinado período da feira, se inicia cerca de sete meses antes da respectiva edição da Expodireto Cotrijal. O resultado é o conhecimento de um número aproximado de delegações presentes a cada ano. Mas nesta 19ª edição algo atípico foi registrado: empresários da Nicarágua buscaram, por conta própria, a assessoria do Pavilhão Internacional, pelo simples fato de ''já terem ouvido falar da Expodireto Cotrijal'', enfatiza Leonardo, que juntamente com Régis Mendes coordena uma equipe de 10 pessoas que atuam em diversas áreas, da assessoria a traduções.

''Nós contamos, nas últimas edições, com a presença da embaixadora da Nicarágua no Pavilhão. Este ano, compromissos particulares a impediram de vir. Então, a chegada destes dois empresários, por conta própria, interessados em óleo de soja, farelo de soja e, possivelmente, grãos de soja, nos surpreendeu de forma positiva. Isto nos orgulha, e é, também, o resultado do trabalho'', entende Leonardo.

 

Trabalho anterior à feira

A movimentação tradicional nos cinco dias de feira, no Pavilhão Internacional, se soma a muitas outras atividades envolvendo as delegações estrangeiras. O início é o trabalho por aquele período de sete meses antes da realização da feira, e passa por translados, com ênfase para aeroportos, com segurança das delegações pela Brigada Militar; acompanhamento em hotéis em Não-Me-Toque e em municípios vizinhos, como Carazinho e Passo Fundo; visitação em estandes de expositores, de acordo com os interesses dos integrantes das próprias delegações, passando por momentos de confraternização e interação com as coisas e cultura do gaúcho, geralmente reuniões feitas em jantares sediados em Centros de Tradições (CTGs), com a participação da organização, autoridades e convidados.

A cada fim de feira, a organização do Pavilhão Internacional faz uma visitação aos expositores que interagiram, receberam a visitação ou fizeram negócios com estrangeiros, a fim de saber do resultado, opinião e informações que podem vir a melhorar o trabalho para a próxima Expodireto Cotrijal. O balanço tem sido altamente positivo.

 

Fonte: Ascom Expodireto Cotrijal.

Publicado por: Ana Maria Leal E-mail: anamaria@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais