Região

Veterinário da Cotrijal orienta como reduzir o estresse calórico das vacas

Ana Maria Leal
Janeiro 12 / 2018

As altas temperaturas durante o verão são sinônimo de redução na produção de leite. Estima-se que nesse período, em média, as vacas produzam 10 a 35% a menos do que no inverno. Mas, com os devidos cuidados, é possível amenizar o impacto negativo dos dias quentes no rebanho.

Segundo o médico veterinário Kleiton Kissmann, da Cotrijal, para os sistemas de produção a pasto, o ponto chave é evitar que as vacas fiquem no sol entre 9 e 16 horas, normalmente o período de maior calor. ''O melhor horário para o pastejo é durante a noite, quando a temperatura está mais amena'', indica.

No período em que não estão no pasto, as vacas devem ser conduzidas para local com sombra e receber água fresca (de preferência em bebedor) e alimentação (silagem e ração).

Para as vacas em confinamento, o ideal é o produtor usar sistemas de aspersão de água e de ventilação nas horas mais quentes do dia. ''Isso pode garantir pelo menos dois litros a mais de leite por vaca ao dia'', aponta.

Com a orientação do Departamento Veterinário da Cotrijal, o produtor Dari Lúcio da Silva Flores, do Assentamento Libertação Camponesa, em Não-Me-Toque, tem conseguido manter boa produtividade. A média das 26 vacas em lactação não baixa dos 29 litros/vaca/dia. 



Publicado por: Ana Maria Leal E-mail: anamaria@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais