Política

Após TRF-2 negar recurso para posse da nova ministra, Temer reúne-se com Cristiane Brasil no Planalto

Ana Maria Leal
Janeiro 09 / 2018

O presidente Michel Temer reuniu-se na tarde de hoje (9) com a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) e seu pai, Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB. A reunião começou às 14h30, próximo do horário em que estava prevista a posse de Cristiane como ministra do Trabalho. No entanto, o evento foi suspenso após o vice-presidente do Tribunal Regional da 2ª Região (TRF-2), desembargador Guilherme Couto de Castro, ter rejeitado o recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) para suspender a liminar que impede a posse de Cristiane Brasil. As informações são da Agência Brasil.

Também participou da reunião o deputado Jovair Arantes (PTB-GO), líder do partido na Câmara. A indicação de Cristiane como ministra do Trabalho, segundo o Planalto, partiu do PTB. Em conversa com jornalistas na semana passada, Jefferson negou que a indicação tenha sido pessoal e afirmou que o nome da filha surgiu de uma conversa entre ele, Temer e o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.

 

Convidados aguardam posse

A incerteza sobre a realização da posse de Cristiane fez com que alguns convidados viessem para o Palácio do Planalto aguardar uma definição sobre a cerimônia. Sem autorização para entrar, pouco mais de 20 pessoas esperaram na frente do Palácio do Planalto por cerca de 40 minutos. Algumas deixaram o local antes, assim que souberam da decisão do desembargador.

A liminar que determinou a suspensão da posse de Cristiane Brasil atendeu a uma ação popular do Movimento dos Advogados Trabalhistas Independentes. A entidade diz que a nomeação de Cristiane Brasil ''ofende a moralidade administrativa''. Segundo o movimento, a deputada ''praticou pessoalmente graves violações das leis trabalhistas, flagradas e comprovadas em, pelo menos, duas demandas judiciais''.

O segundo andar do Palácio do Planalto, onde costumam ocorrer as cerimônias de posse, foi preparado para o evento, com a montagem do palco, do púlpito para o discurso e do púlpito com o brasão da República, de uso exclusivo do presidente da República. Foram dispostas dezenas de cadeiras, bem como área reservada à imprensa, como é de praxe. O local, no entanto, estava vazio.



Publicado por: Ana Maria Leal E-mail: anamaria@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais