Geral

Padre fala na Gazeta sobre desabafo na rede social e divulga ação em Carazinho

Ana Maria Leal
Novembro 14 / 2017

O padre Leo de Mello, da paróquia Nossa Senhora da Glória, em Carazinho, participou do Lado a Lado Com a Notícia desta terça-feira (14) convidando a comunidade a participar de uma atividade diferenciada marcada para esta quarta-feira, dia 15 de novembro, feriado da Proclamação da República. Trata-se de uma missa na igreja da Glória às 15h, seguida de uma mateada na praça em frente à Igreja para a qual os jovens são incentivados a levar o violão e possam todos passar momentos agradáveis.

''O objetivo é reunir a família, ter uma atividade diferente, aproveitar o feriado que é no meio da semana e com isso muitos não viajam, então convido para que tragam a cadeira, pipoca, vamos tocar violão, fazer umas músicas, um momento para nós'' disse padre Leo.

Ele falou, ainda, sobre o depoimento escrito no facebook nesta segunda-feira (13) que rapidamente foi compartilhado e acabou provocando uma grande reflexão na comunidade. A velocidade e abrangência do texto foi tanta que padre Leo conta que ele também recebeu o texto nesta terça.

Escreveu motivado pela indignação de vários episódios que aconteceram neste fim de semana em Carazinho. O padre, que está na cidade há um ano, trabalha com a pastoral da juventude e uma de suas grandes preocupações é o cuidado com a vida dos jovens. ''Atendo com mais propriedade e responsabilidade na paroquia da Glória, e me indigno com a criminalidade, onda de violência, assalto, roubo na cidade. Sou padre, tenho um irmão adolescente de 14 anos e sou parte da comunidade com a qual me preocupo''.

Foi por esse motivo que escreveu neste dia 13 o texto que reproduzimos aqui:

 

''DESABAFO PADRE LEO IGREJA NOSSA SENHORA DA GLORIA: #Realidades... Eu pensava em descansar neste dia, mas como posso? Escuto as notícias de nossa comunidade e penso: "Não posso ficar parado. É preciso agir!" Na Av São Bento ontem presenciei um incêndio, por milagre, sem vítimas. Recebi a notícia que um jovem com 21 anos está sendo velado e que uma jovem com 19 anos está desaparecida. No plantão policial ouço o descaso com a vida humana, quando pessoas fazem falsas ligações solicitando auxílio para socorrer uma vítima de homicídio, quando na verdade era efeito de embriaguez e trolagem (Derramaram tinta no rosto da pessoa e marcaram o sinal da cruz em sua testa, pois estava sob efeito de bebida alcoólica). E a notícia de um cidadão que teve um dos dedos amputado a dentadas em uma briga? Barbaridade! Se queremos uma comunidade sadia é preciso cultivar relações saudáveis. Nos propomos a trabalhar pela comunidade e esperamos apoio e bons projetos também dos órgãos públicos. A Terra da Hospitalidade está na CTI há muito tempo e, se não houver uma reação das lideranças, em breve todos estaremos presenciando seu funeral. Será que precisaremos ver tudo morrer para então carregar flores em nossas mãos? Eu quero flores em vida, enquanto as posso apreciar! Tenho me esforçado para cumprir minha missão nestas terras, mas se não for do agrado e costume da comunidade melhorar, porque aqui "sempre foi assim", não temerei hesitar em buscar outra estação para o trem da vida e os apitos da missão. Abençoada semana. Abraço Fraterno, P@dre Leo''.


Para assistir a entrevista do padre Leo de Mello basta acessar o facebook.com/portalgazeta670 e procurar o programa Lado a Lado Com a Notícia. 



Publicado por: Ana Maria Leal E-mail: anamaria@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais