Geral

Empresa de coleta do lixo em Carazinho não consegue vencer a demanda e gera reclamações pela cidade

Emilio Arruda
Maio 19 / 2017

O problema da coleta do lixo nos bairros em Carazinho se repete mais uma vez. Diariamente a reportagem do Grupo Gazeta recebe reclamações de pessoas que estão descontentes com o serviço que não estaria sendo feito, e a situação piorou nesta semana.

Um dos problemas é no bairro Santo Antônio e Princesa, onde, segundo relatos, há alguns dias o caminhão do lixo não passa. A reclamação desta sexta-feira (19) é das ruas Afonso Pena esquina com Flávio Rocha, bairro Borghetti e endereços do bairro Ouro Preto. Também fomos procurados por moradores da Rua Ermínia Tombini, no bairro Oriental. Em todos esses lugares, a reclamação é, ainda, de que os cães estão espalhando todo o lixo que fica acumulado. 

Nossa reportagem procurou o representante da empresa Engesa em Carazinho, Felipe Martins, que preferiu não gravar entrevista, mas disse, por telefone, que na semana que vem deve ocorrer uma reunião na prefeitura para deliberar algumas questões, pois segundo ele, no contrato entre a empresa e a prefeitura está estipulado o uso de dois caminhões e nove garis, o que segundo a empresa, é insuficiente para atender toda a demanda do município. O responsável disse ainda que durante alguns dias a empresa teria colocado um caminhão a mais por conta própria, ou seja, três caminhões fazendo o serviço na cidade. 

Prefeitura foi procurada

Nossa reportagem foi orientada a manter contato com a secretaria de Planejamento da prefeitura de Carazinho, onde procurou pelo fiscal do contrato da coleta de lixo, Tarso Cadore, que, segundo informação de terceiros, estava fora do setor resolvendo questões sobre os problemas com a coleta. 

O contrato entre a empresa e a prefeitura vai até o dia 31/08.




Publicado por: Emilio Arruda E-mail: emilio@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais