Expodireto

Expodireto: Fórum do Milho enaltece a produção mundial de alimentos

Ana Maria Leal
Março 06 / 2017

Com a presença do secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Rio Grande do Sul, Ernani Polo; e do presidente do BRDE, Odacir Klein, o evento foi prestigiado por um seleto público de produtores, pesquisadores, acadêmicos que veem no milho uma importante cultura para o sistema de produção. ''Essa é uma cultura de duas funções, a produção de grãos e um insumo importante para o melhoramento do solo'', disse o Ernani Polo.

Defensor de uma agricultura sustentável, Willian Weber, engenheiro agrônomo da Syngenta, apresentou uma plano de ação para uma agricultura com menos desperdícios, mais biodiversidade e menor degradação. ''A nossa preocupação é com a produção mundial de alimentos, incentivo aos produtores para sempre buscarem boas práticas integradas ao negócio. Uma vaca só produzirá mais leite se tiver uma alimentação de qualidade e rica em nutrientes, o que só acontecerá com uma silagem de boa produção, por exemplo'', comentou Weber.

Cercado de dados que ilustram a produção mundial do milho e o que ele representa para a alimentação humana, Alan Jorge Bojanic, da FAO, falou sobre as formas de facilitar o acesso aos alimentos. ''Em 2015, a produção mundial de grãos foi de 2,5 bilhões de toneladas, o que nos leva a acreditar de que nosso trabalho ainda tem a muito para colaborar. É um cenário motivante, o que faz do produtor um vitorioso em suas ações'', disse Bojanic, que também destacou que em 2016 a produção mundial de milho foi 1 bilhão de toneladas.

PREÇO AINDA VAI ANIMAR

A tradicional presença do consultor de mercado, Carlos Cogo, novamente encerrou as palestras do Fórum Nacional do Milho. Empolgado com as condições de lavoura para a safra gaúcha, ele recordou o bom momento vivido pelos preços do cereal em 2016 e alertou que a queda atual está com os dias contatos. ''Já vivemos um novo momento, uma transição impulsionada pela notícia da diminuição da área plantada de milho nos EUA. A Bolsa de Chicago já apresenta sinais dessa nova onda para o milho, que deverá retomar seus bons momentos'', destacou.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Cotrijal.





Publicado por: Ana Maria Leal E-mail: anamaria@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais