Coluna Circulando e a política atual.

CPI.

Ana Maria Leal
Agosto 02/ 2021

Como algumas pessoas tem me questionado sobre novidades, busquei informações no Ministério Público a respeito de como será, na sua esfera, o desenrolar a partir da conclusão da CPI da câmara de vereadores que apurou denúncias de suspeitas de irregularidades em construções no pátio da secretaria municipal de Obras de Carazinho.

Conversando com o Dr.Juliano Griza, à frente da promotoria eleitoral e criminal, me disse que nada chegou às suas mãos até esta segunda-feira, dia 02 de agosto.  

Nem a documentação referente ao conteúdo ao longo da CPI, nem o inquérito policial que foi aberto a partir do encaminhamento da promotoria, em março deste ano.

Está aguardando.

Informou, ainda, que, em regra, esses prazos, tanto do inquérito quanto da apuração do MP levam 30 dias, mas que, na prática, é muito mais do que isso, principalmente pela demanda da polícia civil, pouco efetivo, e vasta área de atuação.

Como o Dr. Juliano deu conhecimento do assunto, ainda naquela ocasião, ao promotor de justiça da área de improbidade administrativa, Dr. Paulo Estevan Costa Castro Araújo, o procurei com o mesmo questionamento.

Me respondeu que também não recebeu a conclusão da CPI do legislativo.

No âmbito da polícia civil, procurei pela delegada de polícia Rita De Carli, e confirmou a previsão do Dr. Juliano: me disse que o inquérito está em andamento e ainda não tem previsão de conclusão.

Após a chegada do conteúdo da CPI e do inquérito é que os promotores vão, ao ter ciência do que foi apurado, considerar se precisam de mais alguma informação, que mais alguém seja ouvido, ou não.

Ou seja, pode pedir mais diligências, como explicou Dr. Juliano.

Sem que prazos para conclusões possam ser previstos.






Compartilhe esta coluna em suas redes sociais