Coluna Circulando e a política atual.

Obstrução.

Ana Maria Leal
Março 29/ 2021

A indefinição em torno de uma recomposição salarial dos servidores municipais de Carazinho vai afetar o andamento da pauta no legislativo.

Pelo menos, foi o que anunciou nesta segunda-feira (29) o vereador Bruno Berté (PDT) em sua manifestação na tribuna.

Antes dele, o vereador Fábio Zanetti (PSDB) já havia abordado a questão dos servidores citando, inclusive, alguns municípios que já enviaram suas leis a respeito aos seus legislativos e outros que até já aprovaram, enquanto em Carazinho a categoria ainda não teve nenhuma posição.

Conforme Bruno, além da recomposição tem a questão do retorno 100% às atividades, pois segundo ele, os professores não tem nem internet disponibilizada a todos para cumprir as funções. Citou, ainda, banco de horas instituído no ano passado que ele, falando como advogado, considera ilegal.

Diante desse cenário o vereador propôs aos demais o que será sua atitude a partir de agora: obstrução aos projetos do governo municipal, com exceção dos que estiverem relacionados à saúde pública, até que a casa receba o projeto de recomposição dos servidores, revogue o banco de horas e revise a convocação de 100% dos trabalhadores de volta às funções. 

Ele até tentou começar nesta noite pedindo vistas a um dos projetos do executivo sobre o qual manifestou dúvidas, pois deveria ter dado entrada há mais tempo na câmara, para que fossem cumpridos normalmente os prazos internos, mas, se segurasse o projeto por mais uma semana iria comprometer o seu conteúdo, é referente ao Fundeb, decidiu não impedir sua colocação na pauta, e consequente aprovação.







Compartilhe esta coluna em suas redes sociais