Coluna Circulando e a política atual.

Sem desempate.

Ana Maria Leal
Janeiro 15/ 2021

Os comentários nesta sexta-feira (15) na base do governo municipal são de que, com um passo de cada vez, a gestão emedebista está evoluindo no trabalho que tem como foco evitar riscos a projetos que possam dividir as opiniões na câmara.

Melhor dizendo, os votos.

Sim, pois, se prevalecer a divisão vista na eleição da mesa diretora, de seis votos para cada lado, vai sobrar, sempre, o desempate pelo presidente Tenente Costa, que, naturalmente, vai pender para a orientação partidária, que é o MDB.

Porém, como ficam nas votações em que será preciso mais do que a maioria simples? Ou seja, mais do que um voto de diferença.

É nesse sentido que os nomes apoiadores da chapa de Alécio Sella (PP) para presidente estão sendo buscados.

Um deles, o vereador Adriano Strack (PRTB), já está bastante satisfeito com a administração municipal após a reunião nesta semana que garantiu a possibilidade de utilização do estádio Paulo Coutinho para seu projeto de trabalhar uma categoria de base para Carazinho.

Reunião que Adriano. representantes da Fundescar e o presidente da câmara tiveram com o prefeito Milton Schmitz, que, mesmo sem ter reassumido, sabia do peso que daria o seu comparecimento.

Tanto que o vereador saiu de lá surpreso com a forma com que foi recebido: ''Não tinha a noção que a receptividade seria tão boa, agora é esperar os papeis e fazer o investimento no estádio, colocar a categoria de base jogar, nisso que estou mais ansioso'', disse ele em entrevista ao Tio Piska.

Não está errado.

Há projetos que quer desenvolver e caminhos para isso.

Ter o próprio Alécio apoiando o governo é uma garantia importante para a atual gestão.

Não que os 13 não pensem da mesma forma quando tiverem que analisar os projetos que vão surgir daqui para a frente.

Duvido que algum deles faça a cidade perder oportunidades importantes em qualquer que seja a área apenas por questão partidária.

Independente de aceitar vantagens que possam surgir, o que os eleitores esperam é que saibam diferenciar o comprometimento que tem com a população, daquele com quem tem poder.

Ter independência e discernimento para votar.

Afinal, poder todos temos.

Executivo. Legislativo. População. 








Compartilhe esta coluna em suas redes sociais