Coluna Circulando e a política atual.

Na Agricultura?

Ana Maria Leal
Novembro 26/ 2020

O vereador eleito pelo Progressistas de Carazinho para o primeiro mandato, Alécio Sella, que é engenheiro agrônomo, teria sido convidado para ser secretário de Agricultura da gestão que começa em primeiro de janeiro de 2021.

Agradeceu.

Me disse que foi eleito vereador e está traçando suas metas para nos próximos quatro anos trabalhar como vereador.

Mas isso não impede que encaminhe ao governo emedebista uma lista com alguns nomes que poderiam ser convidados.

Se o MDB quiser, ele tem algumas sugestões, sim, para estar à frente da secretaria de Agricultura.

O que não quer é alterar de imediato um caminho que recém começa a trilhar na política, e para o qual sabe que muitos eleitores não perdoam quando o eleito para a câmara troca essa tarefa pela possibilidade de estar numa secretaria de governo.

É uma oferta que pode seduzir muitos políticos.

Tanto a visibilidade quanto a remuneração é maior estando numa secretaria.

Mas, da mesma forma pode ser o desgaste, se o titular nada puder realizar ou dispor de baixo orçamento.

Se o convite foi feito a ele, mesmo seu partido, o PP, não tendo estado na coligação vitoriosa, significa que o MDB trabalha para ter uma maioria confortável na câmara para as votações futuras.

Pelo que entendi, Alécio vai manter diálogo com o governo pois tem muitas ideias, projetos, que pretende dar andamento ao longo dos próximos anos na câmara.

Propostas que construiu com apoiadores e comunidade, e que precisará tocar.

Não tem perdido tempo.

Enquanto muitos tiraram uns dias para descansar após o resultado das urnas, o progressista tem sido visto em reuniões após reuniões com suas bases.

Não quer deixar o mandato passar em branco.

E quatro anos passam rápido. 

A foto da coluna é do Arquivo Grupo Gazeta, na filiação de Alécio no ano passado, ao lado do senador Luiz Carlos Heinze.





Compartilhe esta coluna em suas redes sociais