Coluna Circulando e a política atual.

Mesa diretora.

Ana Maria Leal
Novembro 17/ 2020

As tratativas para definir quem vai disputar a presidência da câmara de vereadores de Carazinho para o ano de 2021 estão em andamento.

Começaram assim que foi conhecida a lista dos 13 eleitos, e reeleitos.

Normal que isso ocorra.

Lembro que em 2016 as urnas nem tinham esfriado e um grupo reuniu a maioria eleita definindo quem seriam os presidentes nos quatro anos seguintes, e cargos na estrutura da casa foram distribuídos.

Uma reunião a respeito na tarde desta terça-feira (17) foi feita com ''alguns'' dos eleitos deste ano.

Não sei quem foram os participantes.

Em entrevista para a Rádio Gazeta nesta semana em que estou conversando com os 13 que garantiram uma cadeira no legislativo de 2021 a 2024, apenas Tenente Costa (MDB) disse abertamente que quer concorrer à presidência.

Já foram entrevistados até o momento no Lado a Lado, além de Costa, Daniel Weber (PP), Alécio Sella (PP), Márcio Hoppen, o Guarapa (MDB), João Hartmann (MDB) e Valdoir Lima (PSDB).

Alécio se manifestou por escrito a respeito das negociações para a formação da Mesa Diretora: ''Em reunião com a minha família, que desde o começo desta caminhada deu todo suporte pra colocar meu nome à disposição da comunidade, quero ficar isento de acordos pra fechamento de mesa diretora, e sim me coloco disponível a fazer parte de comissões que tratam de apreciar projetos e propostas vindas do executivo e dos demais colegas. Mantenho esta posição e respeito a todos os colegas de bancada, que podem ter certeza, terão da minha pessoa sempre o respeito, admiração e o trabalho em conjunto, buscando um ambiente de muita harmonia e prezando pelo bem estar de todos os munícipes de nosso Carazinho. Minha legislatura será pelo povo e para o povo, ouvindo e atendendo as suas demandas e respeitando as suas opiniões!''.

Aos representantes da base do governo municipal que já participaram do Lado a Lado perguntei quem aceitaria ser secretário, e não vereador, pois há rumores de que alguns deles possam ser puxados para o executivo a fim de ''emprestar'' a cadeira para quem não a conquistou pelo voto.

No caso, para um dos suplentes do MDB.

O MDB tem como primeiro suplente o ex-secretário de Desenvolvimento, Dêninson da Costa, (719 votos) e, segundo suplente, o vereador Erlei Vieira, (698 votos) que tentava o quarto mandato.

Nos bastidores, comenta-se que se Erlei não for puxado para a câmara poderá ocupar um cargo no setor de saúde mental da saúde pública.

Será que planeja assumir a coordenação da saúde mental depois que a coordenadora, a psicóloga Valéska Walber estiver exercendo suas funções como vice-prefeita?

Também ouvi que outra possibilidade é de que a sede da Amospe (Associação de Moradores dos bairros São Pedro, São João, Boa Vista, Herter e Sandri), localizada próximo da estação rodoviária, seja transformada num centro de atendimento a dependentes químicos e criado para ele um CC de ''administrador'' desse novo espaço.




Compartilhe esta coluna em suas redes sociais