Coluna Circulando e a política atual.

PRTB.

Ana Maria Leal
Novembro 10/ 2020

Nesta terça-feira (10), após a publicação da coluna, recebi um telefonema de Olimar Antonio Braganholo (PRTB).

O candidato a vereador nas eleições municipais deste ano em Carazinho havia sido informado por familiares e amigos sobre a publicação para a qual não foi localizado a fim de manifestar sua versão, como os demais três listados em levantamento divulgado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) sobre candidatos pelo Brasil que solicitaram Auxílio Emergencial.

Expliquei que ao manter contato com o presidente do PRTB pela manhã, através do watts, às 09h03, informei a respeito e solicitei seu contato, que não havia me sido repassado até o final da tarde, quando, normalmente, publico a coluna.

Por isso, a sua ausência.

Mas, que, ainda naquela coluna, já postada, incluiria um EM TEMPO para informar preliminarmente sua versão e que teria mais espaço hoje.

E aqui está a sua versão.

Braganholo estava bastante chateado tanto com o episódio em si do auxílio como pelo fato de não ter sido facilitado seu número de telefone em tempo para se manifestar.

Representante comercial, estava fora da cidade para atender a um cliente, afirmou que não fez solicitação do Auxílio Emergencial nem recebeu valores relativos a ele.

Já estava ciente do assunto, tanto que disse ter buscado na Caixa saber o que tinha acontecido, orientaram a depositar o valor de R$ 2.400 que teria sido repassado, a quem, ele não sabe.

''Não recebi esse dinheiro, tenho uma conta na Caixa de quando era funcionário que está zerada, não tem nada nela, tentei baixar o aplicativo da Caixa para saber mais, não consegui nem baixar, nem com o CPF. A gente sabe que teve a pandemia, mas se alguém pegou (o auxílio) com meu número, não estou sabendo, fiquei bem surpreso. Meu patrimônio não tenho a esconder, tenho uma casa no Braganholo graças ao meu trabalho. Não preciso desse valor (do auxílio), Deus me livre, não tenho o porquê. Tenho o recibo do depósito de R$ 2.400 que me orientaram a fazer, se tem fraude vou atrás disso, é minha primeira eleição, nunca participei de nenhuma eleição, não sei o que meus eleitores vão pensar. Sou representante comercial, tenho que cumprir com minhas obrigações, por isso estou fora da cidade. Faço minha campanha com meu dinheiro, e não estou usando fundo eleitoral''.

Tão logo conseguir esclarecer o que ocorreu, vai tornar pública a informação para conhecimento de todos.

Expliquei a elei que a divulgação foi feita aqui justamente para que os quatro citados tivessem a oportunidade de apresentar publicamente suas versões, se assim quisessem, já que tal informação já estava sendo compartilhada em grupos de watts desde a noite da última segunda-feira, dia 09, e, diferente desse espaço, sem que o contraponto pudesse ser conhecido.

A propósito, me foi informado que há mais uma pessoa concorrendo ao legislativo que também estaria na lista do TCU, mas não localizei.

Quem tiver esse dado e puder me repassar, agradeço.






Compartilhe esta coluna em suas redes sociais