Futebol Feminino

Jissele, a lateral-direita das Gurias Gremistas

Kaliandra Alves Dias
Outubro 22/ 2020

No próximo domingo, 25 de outubro, as Gurias Gremistas irão realizar o jogo mais importante de sua trajetória. Após a retomada do departamento de futebol feminino, o Tricolor se classificou pela primeira vez às quartas de final do Brasileirão Feminino Série A1. E a Arena irá receber pela primeira vez, um jogo válido pelo campeonato.

Em campo, uma jogadora chama a atenção: a lateral-direita Jissele, conhecida carinhosamente como Ji. São 10 anos dedicados ao Grêmio. E em uma história de altos e baixos, a trajetória da atleta dentro das quatro linhas, se confunde com a história do time gaúcho e em campo, os torcedores que acompanham a modalidade, já conhecem a raça e determinação da atleta.

Assim como milhares de meninas, Ji começou a jogar bola em uma rua, ao lado de irmãos e primos. Aos poucos a paixão pelo futebol se transformou em um sonho e aos 12 anos, a porto-alegrense iniciou em uma escolinha de futebol. E no início da pré-adolescência, a gaúcha se deparou por algumas situações de machismo. "Enfrentei algumas (situações), pelo fato de ser a única menina nas escolinhas em que treinava. Hoje, dentro do clube, somos muito respeitadas, a grande maioria dos torcedores nos apoiam", relembra a jogadora. Aos 15 anos, a jogadora integrou a Escolinha do Grêmio. "Joguei com adulto desde que entrei na escola do clube. Quando era sub15, já jogava competições com adultas, então não tive muita dificuldade em me adaptar".

Entre o início até a realidade do sonho, Ji enfrentou algumas adversidades, entre elas a financeira. "Em muitos momentos existiu uma incerteza muito grande quanto ao desenvolvimento da modalidade, e por anos não fui remunerada. Pensei em desistir por este mesmo motivo, era difícil conciliar faculdade, trabalho e treinos", destaca a jogadora.

A profissionalização no futebol feminino do Grêmio aconteceu em 2018, quando o clube assumiu integralmente o departamento da modalidade. Mas antes disto acontecer, Ji conciliava os treinos no time, os jogos que disputava pela faculdade, os estudos e também chegou a trabalhar em sete lugares diferentes.

A visibilidade do futebol feminino

Nos 10 anos de Grêmio, entre os momentos especiais junto ao Tricolor, a jogadora destaca o clássico Gre-Nal da final do Campeonato Gaúcho do ano passado. Na ocasião, completou 51 jogos com o Grêmio e foi homenageada pela direção com uma placa e camisa comemorativa.

E fora das quatro linhas, Jissele também comemora a visibilidade e o apoio que as Gurias Gremistas estão recebendo dos torcedores, principalmente, da torcida organizada que esteve presente nos principais jogos que foram disputados nesta temporada e na anterior. "Percebo que há um avanço a cada ano no desenvolvimento da modalidade, talvez não no ritmo quanto gostaríamos, mas é importante valorizarmos cada passo dado". 

Gurias Gremistas no Brasileirão Feminino Série A1

Na fase de grupos do Brasileirão Feminino, o Tricolor encerrou a sua participação na oitava colocação com 24 pontos. Em 15 jogos foram sete vitórias, três empates e cinco derrotas. E nas quartas de final, irão enfrentar o Corinthians, no domingo (25), às 16h na Arena do Grêmio. O duelo será transmitido pela Band TV. 



(Foto: Fernando Alves Fruke)




Compartilhe esta coluna em suas redes sociais