Coluna Circulando e a política atual.

Pré-convenção.

Ana Maria Leal
Julho 09/ 2020

Aylton Magalhães explicou nesta quinta (09) durante participação no Lado a Lado como será a pré-convenção do PP marcada para o próximo sábado, dia 11, às 09h, na Casa 11, localizada na avenida Flores da Cunha esquina com a Alferes Rodrigo.

Foi feita uma consulta ao PP/RS sobre a validade da pré-convenção, que, segundo Aylton, em Porto Alegre é chamada de prévia.

É legal, mas tem que ser ratificada na convenção oficial que ainda será marcada.

Em respeito às restrições do período de pandemia do novo coronavírus, será disponibilizado álcool em gel à entrada da Casa 11, todos usando máscara, e com distanciamento de 1 metro e meio entre as pessoas.

Os participantes serão recebidos de 11 em 11, em horários pré-definidos, para evitar aglomeração.

Vota e sai.

Os progressistas vão decidir se irão disputar as eleições deste ano em chapa pura ou numa coligação, e quais os nomes nessas duas alternativas.

Votam os 45 componentes do diretório municipal e o vereador Ivomar Tomate de Andrade, filiado ao PP no período da janela partidária deste ano, considerado membro nato de votações como a que vai ocorrer sábado.

Conforme Aylton, os progressistas pré-candidatos para essa majoritária são, em ordem alfabética conforme a imagem acima: Albano Kaiser, Alexandre Capitânio, Daniel Weber e Fernando Sant'Anna.

Os pronunciamentos deles, assim como do presidente Aylton, serão conferidos em vídeo a ser exibido numa TV instalada na Casa 11, também como medida para reduzir aglomerações.

Aylton diz que no sábado não será anunciado com que partidos o PP poderá coligar, mas que as tratativas, como já foi divulgado, são com o PSDB, PDT, PL, e a possibilidade do PSD também estar nessa aliança.

''Apelo a cada companheiro, companheira, que vá das 9h às 13h, estamos esclarecendo que sei que fui um dos pregadores de que gostaria de ser chapa puro sangue, prefeito e vice do nosso partido, mas a gente sabe que é necessária a mudança em Carazinho, por isso pensando nessa grande coligação, porque o governo do Milton foi bom para os grandões, não para o povo simples que precisa de emprego, casa própria e uma saúde melhor. O PP foi decisivo na eleição deles, e agora vai ser decisivo de novo''.

O presidente progressista também respondeu quem questiona a aproximação com o PSDB.

''As pessoas me perguntam por que o PP, e eu, Aylton, falamos em composição com o PSDB, que me criou alguns problemas no passado. Criou mesmo, eles sabem disso e eu também, mas prefiro enfrentar junto com os ex-adversários, com os partidos antagonistas, que sempre te atacaram de frente, do que com quem você ajudou a chegar lá, ajudou a eleger, e te apunhalam pelas costas. As pessoas tem que saber porque Aylton e PP, sua executiva, a maioria, quer uma grande coligação, para que possamos voltar ao governo e tratar melhor nosso povo, não é derrubar a administração atual, como andam dizendo, mas fazer uma grande administração,  melhor que a atual, com uma oposição unida''.



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais