Coluna Circulando e a política atual.

Interferências externas.

Ana Maria Leal
Junho 30/ 2020

Comenta-se nos bastidores que nas últimas semanas alguns partidos de Carazinho estariam lançando mão da interferência de diretórios estaduais para tratar das coligações referentes às eleições municipais deste ano.

Um exemplo que gerou esse tipo de especulação foi a presença na cidade, dias atrás, de dois presidentes estaduais.

O deputado federal Nereu Crispin, presidente do PSL no RS, e o deputado estadual Mateus Wesp, presidente do PSDB RS, cumpriram agenda em Carazinho que incluiu representante do MDB.

Bastou para dar o que falar, já que, segundo eu soube, esses políticos teriam passado discretamente pela cidade, sem conversar com lideranças dos próprios partidos.

O outro exemplo é o de que no PP há quem esteja buscando com o diretório estadual uma interferência para que a sigla volte à composição que em 2016 venceu a eleição municipal.

Mas, se voltar a firmar aliança com o MDB, dificilmente será um acerto semelhante àquele, em que indicou o vice.

Por outro lado, conversas do PDT com o MDB não estão, ainda, sendo feitas via aliados estaduais.

Alguns integrantes do PDT que não querem de jeito algum uma união com o PSDB estão tendo contatos diretos com o MDB.

Para levar o apoio pedetista ao partido que busca a reeleição essas pessoas que estão trabalhando incansavelmente por essa adesão seriam recompensadas com cargos no governo assumidos imediatamente.

Dizem que a oferta é de duas secretarias: Obras e Educação.

Por outro lado, há quem diga que essas pessoas não estão autorizadas a negociar em nome do partido, e estariam tratando apenas do próprio apoio, em troca de cargos.




Compartilhe esta coluna em suas redes sociais