Artigos de Ouvintes

Interação e debate em sala de aula

Artigos
Junho 24/ 2020

*Texto: Amélia Freitas- 8º semestre


Instigar o aluno a pensar, debater e refletir o conteúdo aprendido é um desafio na vida de muitos professores. O professor não apenas responde as perguntas dos alunos, mas estimula a criação de novas indagações. 

Dentro da sala da aula, os alunos recebem diariamente uma carga de informações. Que são absorvidas, por eles. Porem na maioria das vezes é apenas uma transmissão de conhecimento do professor ao aluno. Debate sobre os assuntos aprendidos são ótimos métodos de aprendizagem.

Como conta a professora do 5º ano da Escola São Paulo, em Santo Antônio do Planalto Viviane Volgemann “Todo debate e troca de ideia é muito importante.”.  Ela conta ainda que um dos desafios neste aspecto é manter a concentração dos alunos no assunto em questão  “A principal dificuldade é eles manterem o foco no que esta sendo debatido, proposto pelo professor, muitas vezes perdem o foco e mudam de assunto”

Os debates em sala de aula são o objeto de estudo do projeto Interações discursivas em salas de aula, coordenada pela Mestra Adriana Dickel, professora na Universidade de Passo Fundo, ela conta que o projeto tem como objetivo “compreender os mecanismos pedagógicos, psicológicos e/ou culturais, que restringem, dificultam, impulsionam e/ou ampliam o processo de produção de conhecimentos em salas de aula do Ensino Fundamental de escolas públicas”.

Esse projeto nasceu de indagações de outro realizado em parceria com a Universidade Regional de Blumenal e a Universidade Federal de São Paulo, Adriana conta que  “Esse projeto deixou em aberto um conjunto de questões cujas respostas se fazem necessárias para que se compreenda com maior profundidade, e, portanto, com maior possibilidade de intervenção sobre ele, os intervenientes do quadro de fragilidades da escola pública nos dias atuais” .

 A professora da Viviane Volgemann vive essa realidade em sala de aula diariamente, e para ela o desafio maior é manter o foco dos alunos “A principal dificuldade é eles manterem o foco no que esta sendo debatido, proposto pelo professor, muitas vezes perdem o foco e mudam de assunto”. Ela também ressalta que os debates são trocas de ideias importantes para formação dos alunos.


Em estudos realizados pela Universidade Federal de Minas Gerais constatou-se que os debates em sala de aula obedecem um padrão chamado de IRF:  Iniciação-resposta-feedback. O professor dá inicio ao debate apresentando as ideias e conceitos, em seguida os alunos respondem, participam do debate refletindo sobre o assunto. Então o professor passa seu feedback, sua avaliação. Não é apenas dizer que as considerações e percepções dos alunos estão corretas, mas instigar a pensar. Dois autores conhecidos no por professores, Mortimer e Machado um texto tem função dialógica, ou seja de criar novos significados.

Esses códigos de linguagem e signos, ajudam o aluno a compreender o conteúdo aprendido. Mas ate mesmo crianças iniciando sua vida escolar sofrem influencias do meio externo, “Somos constituídos nas relações que mantemos com os outros” fala Adriana. 

Situação vivenciada na pratica pela professora Viviane “Cada criança trás para dentro da sala de aula aquilo que vive na família, como todos somos diferentes, existe um grande “ leque” de argumentos, ponto de vista, posição, valores que cada um vivencia. E em sala de aula precisamos saber lidar com toda essa diferença e chegar num “ denominador comum”

Essas influências se intensificaram nesses últimos meses devido a pandemia onde os pais tiveram de assumir a mediação do aprendizado. Com as medidas de isolamento social o setor da educação foi afetado. O projeto coordenado por Adriana teve as praticas interrompidas, sendo mantidos apenas estudos teóricos.

Viviane, como os muitos professores no nosso país, está enfrentando o desafio de ensinar a distância. E agora grupo no Whatsapp se tornou sua nova sala de aula. Neles ela compartilha o planejamento de aula semanal, com o conteúdo a ser aprendido, exercícios e explicações. E aproveita o momento para se reinventar “Não só em conteúdos, mas o uso da tecnologia a favor da educação, como aprimoramento e ajuda no trabalho do professor”

Os efeitos das medidas emergências tomadas agora serão conhecidas e avaliadas profundamente no futuro, mas o que não mudara será o compromisso educacional que ambas tem.




(Fotos: Adriana Dickel)



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais