Coluna Circulando e a política atual.

Convenções virtuais (2).

Ana Maria Leal
Junho 06/ 2020

Dando sequência à abordagem de ontem, aqui estou os demais presidentes de partidos políticos em Carazinho que responderam o que pensam sobre as convenções virtuais, em ordem alfabética:

 

Jorge Dutra (MDB): ''Entendo que devido ao momento de pandemia que estamos passando os setores de saúde vão orientar com será, no momento (da eleição) a melhor forma de nos proteger, e devemos sempre priorizar a saúde de todos nós. Porém, pelo lado político, no meu entender, as convenções presencial sempre tem uma maneira melhor de articulação e uma disputa sadia onde todos tem igualdade de discutir no corpo a corpo seus interesses, no modo virtual o membro do diretório fica um pouco engessado para as discussões''.

Marcos Soares (DEM): ''O Democratas irá fazer presencial pois somos um partido pequeno e não irá dar muita aglomeração. Vamos controlar a distância das pessoas e outras medidas pra não ter problemas com a Covid se a convenção for feita em um local bem ventilado''.

Paulo Schetertt: ''Minha opinião é de que adiassem as eleições para o ano que vem, mas a lei não permite. Com convenções virtuais é prejudicial aos partidos, um troço virtual nunca dá certo, dá até pra se fazer, mas é preferível presencial. O PT já está fazendo reuniões virtuais, e por áudio, sobre as eleições deste ano''.

Piero Pauletto da Costa (NOVO): ''Acertada a decisão do TSE de permitir convenções por meio virtual, tendo em vista os cuidados sanitários que o momento exige, já que, ao que tudo indica, ainda devemos conviver com esse vírus por algum tempo. Há ferramentas aptas para realizar as convenções remotamente sem comprometer a segurança. Os avanços tecnológicos disponíveis trazem formas muito mais simples de realizar as mesmas tarefas. Quem sabe esse exemplo inspire o setor público a se modernizar, assim possibilitando um gasto estatal menor e uma diminuição de impostos. Só lembrando que vamos (o NOVO) ter candidaturas só em 4 cidades no RS.  Caxias, Canoas e Santa Cruz com prefeito e vereador, e POA só com vereador''.

Vitor Xavier (PL): ''Particularmente, não acho interessante, mas, se não tiver outro jeito, que não vai ter, em razão da situação atual, da pandemia, mas preferia presencial. Vai mudar em questão da dificuldade, a negociação, os acertos do partido, mas considero de forma virtual uma coisa normal, enquanto não liberarem os encontros presenciais. O PL já está on line discutindo como será a eleição deste ano, semana que vem vão nos passar as diretrizes de como terá que ser feito quanto ás convenções''.

Caso haja mais algum partido formado em Carazinho que não tenha sido inserido aqui, agradeço se mantiver contato para que eu possa relacionar sempre que buscar o posicionamento das siglas em atividade na cidade.



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais