Coluna Circulando e a política atual.

Desabafo.

Ana Maria Leal
Fevereiro 21/ 2020

Depois de acompanhar a questão PP-MDB sem expor publicamente seu pensamento a respeito do cenário de interrogações e divisão que envolve o seu partido, o ex-presidente da sigla Albano Kayser resolveu se manifestar.

Me enviou uma nota na qual está clara sua desolação com as divergências internas que impedem que o PP avance nas decisões que, segundo ele, já foram tomadas.

''O PARTIDO é maior que opiniões pessoais'' ressaltou Albano quando tratamos do assunto, e que ''tem muita fofoca'' atrapalhando.

Para ele, ''as coisas estão indo além da posição partidária'' sendo que é tudo muito simples: ''É fácil!! Cumpra a decisão do PARTIDO. Ponto''.

Aqui está a íntegra do que me enviou e retrata essa realidade, e na qual a sensação que se tem é de que o PP está sem rumo:

''Tenho minha ficha partidária desde 1987. Desde então, iniciei como um filiado e, por ser partidário e sempre tentando ser atuante na política, pensado no bem de nosso Município, consegui ter amigos em todas as siglas. Houve, sim, uma situação a qual denunciei pessoas que eu tinha convívio, e não por isso deixei de fazer a minha parte quando tinha um cargo público. Nestes meus 33 anos de filiado, exerci 4 anos e 8 meses na função pública, há mais de 3 anos não faço parte nem da executiva do PP, somente do diretório. Por todo o meu passado, não posso deixar de colocar minha posição como partidário.

Na vida e na política, eu aprendi que tudo se conquista e nada se impõe. Aprendi, também, a respeitar a hierarquia. Aprendi que em qualquer partido as diretrizes são as mesmas. Sabemos que qualquer decisão partidária, dentro da legislação, deve ser cumprida conforme o estatuto partidário. Dentro deste estatuto, existe uma executiva, um diretório e diversos cargos, os quais sempre ou muitas vezes, não são ouvidos ou chamados. Em minha visão, chegou a hora do partido COMO UM TODO tomar uma iniciativa, pois, como filiado, estou vendo e ouvindo muitas opiniões de companheiros de partido na mídia, inclusive usando a tribuna da casa do povo para tal. Portanto, a partir de tudo que ouvi e de minhas informações, que não são oficiais (já que sou apenas um membro do diretório), gostaria que o PP, considerando todos que foram eleitos em convenção para exercer seus cargos do conselho de ética, inicie um processo de atuação e decisão.

Finalizando, só gostaria que o Progressistas, o qual por muitas vezes foi administração em Carazinho e que na última eleição do MDB teve participação decisiva para a vitória, tivesse, dentro de sua hierarquia partidária, uma definição, onde visse somente os melhores caminhos para nosso município, sem levar para o lado pessoal''.

A foto que eu resgatei para a coluna foi de uma agenda do PP realizada na câmara, e fiz em 2017. 



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais