Coluna Circulando e a política atual.

Diferentes vertentes.

Ana Maria Leal
Fevereiro 20/ 2020

O PDT está convocando os membros titulares e suplentes do diretório municipal de Carazinho para reunião deliberativa no dia 28 de fevereiro, à noite, das 19h às 21h, na câmara de vereadores.

Na convocação assinada pelo presidente Paulo Barbosa consta que o objetivo será considerar ''a possibilidade de coligações com partidos do município, que será validada na convenção pedetista em prazo a ser definido''.

A ordem do dia para o dia 28 é:

a) Deliberação, por voto direto e secreto, de futura coligação para a eleição majoritária de 2020.

b) Autorização para que a executiva municipal firme futura coligação com o partido que for escolhido.

c) Assuntos gerais.

São as definições naturais a um ano de eleição, e o PDT quer organizar a casa para ir em busca de aliados.

A divisão nos partidos não é prerrogativa de quem está no governo.

No PDT também há vertentes diferentes.

Identifiquei pelo menos três.

Há os que querem coligar com o MDB.

Há os que querem coligar com o PSDB.

Há os que querem lançar chapa pura.

Um exemplo dessa última possibilidade é Maria de Lurdes Gobbi, a Luli.

Me disse nessa semana que seu nome está à disposição para uma majoritária.

Ela como candidata a prefeita, e pensou em Eloisa Dreyer como vice.

Eloisa não está na cidade, mas seu irmão, Helio Rocha, já descartou essa chance.

Afirmou que a partir das conversas com Eloisa ela poderá estar, sim, numa nominata para concorrer a uma vaga na câmara.

E só.

A foto do Circulando é de arquivo, e fiz em agosto de 2017, num evento pedetista. 



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais