Coluna Circulando e a política atual.

A resposta foi negativa.

Ana Maria Leal
Fevereiro 17/ 2020

Depois de tanto ter ouvido a pergunta ''Qual foi a resposta?'' sobre a posição do MDB ao que foi proposto pelo PP para a manutenção da aliança para a reeleição do atual prefeito, o presidente do PP veio a público nesta segunda-feira (17).

Aylton Magalhães acha que há muito 'disque-disque' em torno do assunto já que, oficialmente, as pessoas encarregadas dessas tratativas ainda não se manifestaram publicamente.

''Não sei porquê se esconder'', me disse o ex-prefeito.

Ao conversar comigo Aylton retomou o assunto relembrando que, após a Reunião Especial do Diretório do partido, realizada em 17 de dezembro de 2019, foi enviada ao PMDB a proposta votada por 20 votos a 14, três dos conselheiros progressistas estavam presentes, inclusive vereadores, secretários de governo, na qual o PP propôs metade do Governo para continuar aliança com o PMDB, com Milton e Fernando, ou novos nomes ''já que o eleitorado carazinhense ainda não reelegeu prefeito e vice''.

Decorridos 46 dias da entrega da proposta pelos Progressistas que ocorreu durante reunião no gabinete do prefeito Milton Schmitz, presidente do PMDB, secretário Jorge Dutra, quando o PP foi representado pelos componentes da Comissão Especial, designada por este presidente: Giuliano Cecconello, Jorge Dias de Meira e Aldryn Alisson Keyser, dia 27 de dezembro de 2019, a resposta foi entregue no dia 12 de fevereiro de 2020 comunicando que não foi aceita a 'Proposta Imposta'.

Na ocasião, informava, ainda, o MDB, no documento assinado pelo presidente Jorge Dutra: ''aceitamos continuar com o Partido Progressista -PP, para que continue a formação atual do governo''.

Aylton afirma que está de fora dessa tratativa.

''Como presidente do Progressistas de Carazinho agradeço a dedicação dos companheiros Giuliano Cecconello, Jorge Meira e Aldryn Keyser.  Agora, qualquer negociação é com o Diretório. Nos cabe aceitar a negativa à nossa proposta pelo PMDB. Acalmar os ânimos. Fazer uma análise bem tranquila, e, depois de março, decidir nossas composições, à concorrermos a eleição de prefeito, vice, vereadores. Vamos deixar março passar, a tal Janela a quem tem mandato eletivo e deseja mudar partido por motivo bem justificado, conforme a lei, e para não ter perda do mandato atual. A Democracia é assim, foi dado uma ampla liberdade para discussão e o caminho é LIVRE para IR e VIR''.

Se o MDB não aceitou, quem vai ocupar o espaço do PP?

Ou, irá o PP voltar atrás em sua proposta?

Ninguém sabe, ainda.

A foto do Circulando é meramente ilustrativa, fiz em recente encontro político no qual o presidente do PP estava reunido com representantes de outros partidos para tratar sobre como viabilizar a entrega das mochilas para os estudantes da rede municipal de ensino diante das restrições em ano eleitoral. À esquerda aparece Vitor Xavier, à frente do PL (em formação na cidade), e sentados na fileira à frente de Aylton, Wilson Moreira (de costas) e o pedetista Leodi Altmann.  




Compartilhe esta coluna em suas redes sociais