Coluna Circulando e a política atual.

Eita!

Ana Maria Leal
Dezembro 12/ 2019

Foi marcada por pronunciamentos acalorados a sessão extraordinária desta quinta-feira (12) na câmara de vereadores de Carazinho, realizada para votar o orçamento de quase R$ 270 milhões para o município no ano que vem.

O motivo desses fortes posicionamentos, o pedido do líder do governo, Márcio Hoppen (Guarapa), de derrubada da emenda incluída pelo colega pedetista Anselmo Britzke (Gauchinho) para ampliação do orçamento na infraestrutura do Distrito Industrial, no valor de R$ 400 mil.

Evidente que Gauchinho não aceitou a resistência do governo à sua proposta, afinal, de que adianta tanta fidelidade ao governo?.

''Guarapa, não sei o que te dizer, se eu te xingar é pouco, brigar não vamos, porque somos dois homens adultos, mas infelizmente o pensamento é pequeno, e ainda mais defender que minha emenda seja derrubada, você que tem uma empresa, dá 6, 7 empregos, assim como eu, nós dois contribuímos pra prefeitura da mesma maneira que demais empresários do nosso município, o prefeito mandou um projeto reduzindo mais ainda a verba pro distrito industrial, mas amanhã minha assessora vai tirar xerox de todos os currículos que tenho no meu gabinete e vou enviar ao gabinete de vocês, principalmente o teu, líder do governo, que me deixou indignado agora, votei o ano inteiro com o governo, projetos polêmicos, apoiei todas as emendas, o que eu sirvo pro governo? pra nada, todo o tempo que eu apoiei? beleza meu líder, beleza meu prefeito, a partir de hoje, a partir dessa votação, será outro vereador Gauchinho que estará sentado naquela cadeira e outro aqui nessa tribuna, isso é pior que tapa na cara de um homem, o que foi feito comigo agora, é pior. Então, parabéns ao governo municipal que não quer gerar emprego, não quer dar emprego pra comunidade, não quer investir no distrito, onde estão as empresas. Tem empresa indo embora se não sair asfalto. Não é uma empresa que me cobra, são 4, 5 que estão no distrito industrial no barro, terra , poeira, é isso que o vereador Guarapa e o prefeito Milton querem pras empresas de Carazinho? por isso que foram na Acic outro dia e o secretário de Desenvolvimento não soube dizer quais empresas que trouxeram pra Carazinho... mas a vida é assim, a estrada vai e vem, esse vereador não quer mais ser chacota, o prefeito não quer dar  infra estrutura por isso não vem pra Carazinho, estão certas as empresas em sair de Carazinho indo pra Santo Antônio do Planalto. A Catto, vão dar uma olhada em Santo Antônio,  feliz da vida! e Carazinho cada vez perdendo mais, um prefeito que quer reduzir cada vez mais o distrito industrial, e manda seu líder do governo derrubar uma emenda! Três anos eu ajudei, e agora uma emenda do vereador Gauchinho, é contra!''.

Natural que uma discussão desse porte não estivesse terminada.

O vereador Tenente Costa (PP) informou que esteve em encontro da ACIC nesta semana no qual o convidado era o secretário de Desenvolvimento de Carazinho, Dêninson da Costa, cujo resultado foi frustrante.

Aliás, no decorrer da semana eu já havia ouvido de uma pessoa que esteve presente uma  outra palavra para definir o encontro: fiasco.

Pois Costa contou na tribuna que o secretário não soube responder as inúmeras perguntas que eram feitos sobre o setor que comanda desde o início do governo.

''Um dos maiores questionamentos foi com referência ao distrito, foram unânimes em falar que se não tiver infraestrutura boa poucos se mostram interessados em estar em Carazinho, não vão comprar terreno no meio do barro''.

Só que nesse sentido o secretário teria respondido que, com o asfaltamento da estrada para o Santuário de Santa Rita, poderia haver interesse de investidores se instalarem lá.

Mas, voltando à sessão extraordinária, coube ao petebista Tomate (Ivomar de Andrade) encerrar a abordagem sobre a emenda de R$ 400 mil e o desenvolvimento em Carazinho, e, ainda, desafiar o governo.

''Estamos falando de um secretário de Desenvolvimento que não desenvolveu nada nessa cidade, e tem coragem de dizer que geraram 600 empregos. Mentira! 199 empregos foram gerados na atual administração. Tenho dados, porque não me contestam? eu tenho dados''.

Tomate aproveitou para dizer que faltou humildade ao prefeito para chamar os 13 vereadores e conversar sobre o orçamento, e, entre outros, alertou que não existe eleição ganha.

''Eleição ganha não existe, tem muita gente achando que tá com a eleição ganha, mas se cercar de puxa saco e CC é fácil dizer que eleição está ganha, e orçamento que não se conversa com os seus vereadores, e eu acho que o governo não tem mais 10 vereadores, pelos pronunciamentos. Mas ter uma base maciça, ensurdece, cega, e deixa vaidoso o administrador que senta naquela cadeira, porque ele  acha que tem poder, não existe poder, existe liderança, pessoas que tem liderança são as que conseguem administrar e discutir de forma democrática um orçamento de R$ 270 milhões, que envolve a vida das pessoas. Ser líder de governo não é fácil, não é pra qualquer um, faltou o  executivo discutir com a câmara, com todos. Todos que não tem humildade pagam o preço de uma decepção, o povo pede emprego, saúde, mais educação, mas não nesse formato. Aquela cadeira (de prefeito) vai esfriar a partir de primeiro de janeiro de 2021, outro traseiro vai sentar nela, não será o mesmo, do jeito que está se desenhando, o MDB não fará sucessão porque nenhum prefeito foi reeleito em Carazinho''.

Depois disso tudo, sobrou para o líder do governo recuar.

''Quando não há entrosamento, não adianta, vou votar contigo, Gauchinho, e por esse distanciamento do executivo com o legislativo, mas nós temos que cobrar que esses R$ 400 mil sejam investidos. Voto favorável Gauchinho, e desculpe qualquer coisa''.

A emenda proposta foi aprovada por unanimidade. 



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais