Coluna Circulando e a política atual.

Apego à cadeira?

Ana Maria Leal
Dezembro 11/ 2019

O emedebista Márcio Hoppen (Guarapa) fez uma brincadeira com o presidente da câmara durante a sessão desta semana, do tipo, como uns diriam, que é utilizada para dizer alguma verdade.

Falou que Daniel Weber estaria tendo dificuldade em desapegar da cadeira de presidente.

Ou Guarapa estava apenas ironizando a situação, ou, no fundo, ao abordar publicamente a questão, tentando causar desgaste ao progressista.

O fato é que aproveitou um momento em que Daniel teve um pequeno atrapalho na condução dos trabalhos na mesa, - trocou o nome de uma pessoa, se não me engano -, para dizer:

''O presidente está um pouco emocionado, está muito apegado à cadeira...''.

Se por um lado provocou risos, por outro, deu uma alfinetada, classificando Daniel como um político apegado ao poder.

Ao que o presidente não tardou em responder, discordando, evidentemente.

Disse que teve um ano tranquilo na presidência ''de grandes vitórias, conquistas, num ano em que a câmara apareceu positivamente''.

Foi sua maneira de dizer a Guarapa que fez bem mais do que ele, quando esteve presidente.

Ou bem mais do que o outro antecessor na atual legislatura, Estevão De Loreno

Nada mais negativo do que um ano marcado por brigas, denúncias e a cassação de um vereador, como foi 2017.

Mas. Retomando, foi na gestão de Daniel, - mesmo que não tendo partido dele a iniciativa- que a câmara de Carazinho conseguiu tirar do papel o fim das diárias, algo já tentado e não conseguido pelo próprio emedebista que se elegeu com a promessa da Diária Zero.

Ou tudo isso seria porque o progressista tem aparecido demais, elevando seu passe nas negociações para a formação da aliança MDB-PP?

Essa e outras respostas teremos em breve, com as definições referentes à majoritária que esses partidos e os aliados pretendem apresentar aos eleitores.




Compartilhe esta coluna em suas redes sociais