Coluna dos apaixonados pelo Colorado

Meta é segurar o Flamengo

Anderson Amaral
Agosto 19/ 2019

A tarefa não é das mais fáceis, mas nesta semana, no Rio de Janeiro, teremos que segurar o ímpeto do ataque rubro-negro, o Maracanã lotado, o maior investimento na compra de atletas, os maiores salários dos jogadores e a maior torcida do Brasil torcendo em todas as partes do País.

Com certeza, após o jogo contra o Palmeiras pela Copa do Brasil, este confronto contra o Flamengo será o mais difícil do ano, pois toda a mídia do Centro, Norte e Nordeste do País dará o maior destaque, o que torna qualquer resultado positivo como um fato heróico.

Infelizmente nosso colorado não poderá contar com o polivalente Edenilson, destaque deste ano no meio campo, que se lesionou no jogo contra o Cruzeiro, devendo ser substituído por Nonato, jogador da base e que com o tempo vem se firmando.

De qualquer forma, o que se provavelmente vai acontecer é a iniciativa, por parte do Flamengo de pressionar o Inter desde o começo, pois os rubro-negros tem ciência de que precisam de um resultado positivo neste primeiro jogo, como forma de tentar garantir a vaga para a semi final da Libertadores da América.

E o que o nosso treinador tem a fazer? Primeiramente montar esquema que possa segurar, ao menos nos primeiros 20 minutos, a volúpia flamenguista, equilibrando as ações e também partindo para o ataque, pois teremos D`Alessandro, Nico Lopes e Guerrero, para tentar suplantar a defesa não muito confiável do Flamengo.

A vitória, com o time reserva, contra o Fortaleza no último sábado, nos dá a confiança de podermos enfrentar o Flamengo de forma efetiva, até porque este time já enfrentamos neste ano, no Beira Rio, com vitória colorada.

De qualquer forma, o respeito e a humildade devem ser mantidos, pois mesmo tendo um grupo menos valioso, ao menos para os analistas do País, temos jogadores guerreiros e imbuídos em bons resultados.

Será novamente uma quarta-feira de nervos à flor da pele, quando teremos que enfrentar mais 80% da torcida do País, numa legítima luta equiparada ao combatente chinês que se postou em frente a uma fileira de tanques de guerra que continham as manifestações contra o regime ditatorial na China.

Que a valentia e coragem gaúcha possa ser superior ao glamour carioca, é o que se espera.

Que assim seja.



(Foto: Divulgação/Inter)




Grande abraço.



E-mail:
Compartilhe esta coluna em suas redes sociais