Coluna Circulando e a política atual.

Jogo de cintura.

Ana Maria Leal
Julho 10/ 2019

Aliás, haja jogo de cintura para enfrentar o fogo amigo.

Mas, apesar da pouca experiência na política o secretário emedebista Lucas Lopes tem conseguido se desviar de ataques que ou são abertamente assumidos por correligionários ou, em outras ocasiões, disfarçados, e surgem de aliados da própria base do governo.

Tudo muito bem articulado.

Conversei com ele nesta semana sobre vários assuntos, como a sua presença na nominata do partido que vai buscar vagas na câmara, no ano que vem, e ele deve seguir a vontade do partido e buscar a reeleição como vereador.

Lucas foi eleito vereador e está secretário de Educação.

Lugar, diga-se de passagem, bastante ambicionado por outros emedebistas, e que não é segredo algum, pois o vereador Márcio Hoppen, o Guarapa, queria que estivesse na função o seu indicado, Lucio Martins Pinto, atual coordenador da Biblioteca Pública. 

Tempos atrás, na própria câmara, diziam que Guarapa queria ter uma experiência como secretário e cogitou a Educação.

Possibilidade que é vista como improvável até por emedebistas.

O fato é que Lucas, assim como outros secretários que irão concorrer no ano que vem, deve sair apenas no momento que a lei eleitoral determina a desincompatibilização, e, se não me engano, é em abril de 2020.

Assim como desvia dos ataques, não fala dessas intrigas internas.

Trata tudo apenas no âmbito do partido, no melhor estilo de ''roupa suja se lava em casa''.

Não há nada previsto para quem vai assumir a Educação quando retornar ao legislativo no ano que vem para cumprir a lei eleitoral.

Será uma decisão do prefeito Milton mas nos bastidores ouvi que pode ser Sandra Bandeira Guerra, ex-coordenadora regional de educação.  



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais