Coluna Circulando e a política atual.

Não quer se comprometer.

Ana Maria Leal
Fevereiro 07/ 2019

Encontrei Gian Pedroso (PSB) no grupo de políticos de Carazinho que participaram da manifestação pela ERS 142 na tarde desta quinta-feira (07) na divisa entre Carazinho e Não-Me-Toque (leia mais na capa deste site e facebook.com/portalgazeta670).

Em dois momentos seu comportamento me chamou a atenção.

Primeiro, quando nesse grupo de políticos falavam sobre as eleições 2020 e pesquisa proposta através da rede social dias atrás, especulando nomes para disputar a prefeitura de Carazinho.

Gian foi incisivo ao dizer que antes de tudo é preciso que um politico teste sua votação na câmara.

No grupo estavam Alécio Sella (PSL) e os irmãos Sant´Anna (Rafael e Fernando), do PP.

A referência deve ter sido a Alécio, que até então não foi testado nas urnas, mas respingou em Rafael, que concorreu a vereador em 2016, e não foi eleito.

Seguindo esse ponto de vista pode ser que para Gian nenhum deles tenha condições de disputar uma majoritária.

A não ser Fernando, que já foi vereador, e está vice-prefeito.

Segundo, enquanto eu fotografava essas pessoas Gian não quis aparecer na foto com eles.

Bateu em retirada.

Fez isso não apenas se afastando, como me respondendo, quando estranhei: ''estou bem com o prefeito, ele tem atendido meus pedidos...''.

Ou seja, com o gesto demonstrou, ainda, que o prefeito pode não gostar de ver seus vereadores (da base) com os irmãos Sant´Anna e muito menos com Alécio.

Gian tem mais um motivo para querer agradar o prefeito, pois é sabido de todos que o PSB tem ambições em 2020 e uma delas é que o vereador esteja na majoritária pela busca da reeleição, como vice de Milton.

Não quer correr o risco de não estar nessa disputa interna.

Na foto do Circulando aparecem, no primeiro plano, Gian, Alécio, e Sérgio Cornélio, assessor do vereador. Lá ao fundo, em conversa do outro lado da rodovia, distantes, os irmãos Sant´Anna. 



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais