Coluna Circulando e a política atual.

Será que ele volta?

Ana Maria Leal
Janeiro 04/ 2019

Ouvi nesta semana especulações também quanto aos nomes que poderão assumir a unidade da Corsan em Carazinho, com o governo eleito para o estado do Rio Grande do Sul.

Entre um nome e outro, apareceu o de Ermógenes Bodanese, que por anos ocupou essa função, é emedebista, e presidiu o partido em Carazinho até agosto de 2017.

Bodanese, já desde o início de 2017, se não me engano, estava fora de Carazinho, atuando na Corsan em Capão da Canoa.

Perguntei a ele se haveria essa possibilidade de retornar a Carazinho, e me respondeu que não há nada neste sentido, e pode ser que permaneça em Capão.

E acrescentou: ''Tenho visitado Carazinho sempre que possível. Menos do que eu gostaria, é claro''.

Devo lembrar que da mesma forma não se sabe se será do MDB o nome indicado para Carazinho nesta área.

No caso de Bodanese voltar, há quem pense que seria até natural que também voltasse a integrar a executiva do partido.  

A foto, meramente ilustrativa, fiz em março de 2015, quando o prefeito Milton Schmitz assinou ficha no partido, em ato no plenarinho da câmara. 


Compartilhe esta coluna em suas redes sociais