Coluna do Imortal

Noite infeliz

Alexandre Ricardo Schneider
Outubro 31/ 2018

O sonho do tetra ficou pelo caminho. Os mais de 50 mil tricolores que foram a Arena nesta terça-feira, viram a classificação para final sumir em questão de minutos. O que parecia festa transformou-se em decepção. O River Plate iniciou o jogo pressionando, mas mesmo assim em um lance isolado de rebote de escanteio, o Grêmio abriu o placar com um belo chute do lateral Leonardo. No segundo tempo o Grêmio dominou o meio de campo e deixou de matar o jogo em um contra ataque com o Everton, que ficou cara a cara com o goleiro Armani. E aos 36 minutos, o River Plate, que mal conseguia atacar, empatou a partida com um gol irregular do atacante Borré, a bola desviou em seu braço antes de entrar e nada do VAR ser acionado. No lance seguinte, o River pediu escanteio e com o auxílio do VAR ganhou um pênalti, que foi convertido com categoria. Dois pesos e duas medidas para a utilização da tecnologia. Depois disto, não houve mais jogo na Arena e a vitória pelo placar de 2 x 1 classificou o River Plate para a final da Copa Libertadores.

A derrota não pode ser creditada somente para um jogador, o time ganha e perde de forma coletiva, e na partida de ontem o zagueiro Bressan foi mais vítima do que vilão, a sorte parece ter abandonado o atleta, mas de qualquer forma, entendo que ele deva buscar novos ares para a próxima temporada.

Agora resta ao Grêmio brigar pelo G4 do Campeonato Brasileiro, obtendo assim uma vaga direta para a Copa Libertadores de 2019.

Boa semana a todos!


(Foto: Divulgação/Grêmio)






Compartilhe esta coluna em suas redes sociais