Coluna Circulando e a política em Carazinho.

Sabe esperar.

Ana Maria Leal
Outubro 04/ 2018

Ao conversar nesta quinta-feira (04) com o secretário de Desenvolvimento de Carazinho, Dêninson Costa, durante visita que ele fez ao Grupo Gazeta acompanhando o candidato Márcio Biolchi, percebi que soube administrar a frustrada tentativa de disputar uma vaga para deputado estadual nas eleições deste ano, como pretendia.

''Estou esperando o meu momento'', me disse Dêninson.

Na reta final da campanha e no corpo a corpo com eleitores junto de Márcio, chegou a lamentar não estar também candidato, mas faz várias leituras do atual momento político.

Por um lado, pensa que poderia ter concorrido a vereador em 2016 e passado por uma experiência nas urnas.

Por outro, repensou essa ideia após assumir uma secretaria. Agora, considera que seu perfil se encaixa mais no executivo do que no legislativo.

Porém, sabe que seu ''momento'' de concorrer a um cargo no executivo, estando numa majoritária, pode não chegar em 2020.

Me disse que se o prefeito Milton Schmitz decidir concorrer pela reeleição não seria o seu (Dêninson) o nome para a posição de vice. Há outro secretário à sua frente.

É Estevão De Loreno, vereador que está secretário de Obras.

Disse que De Loreno está trabalhando forte no setor para ocupar essa posição numa majoritária,  e, desta forma, seria mantida a dobradinha MDB-PP.

Além de analisar as possibilidades dos candidatos de Carazinho que disputam uma cadeira na Assembleia Legislativa neste ano, Dêninson observou que o MDB pensa lá na frente.

Acha que um político com potencial para concorrer a deputado estadual pode surgir em 2022, e que esse nome é o do prefeito Milton. 





Compartilhe esta coluna em suas redes sociais