Apaixonados pelo Colorado

Arena Condá das derrotas

Anderson Amaral
Setembro 18/ 2018

Não foi desta vez que o Internacional conseguiu superar a Chapecoense na Arena Condá. A sina continua e as derrotas se ampliam.

Foi mais um jogo nervoso, tenso e com pouco futebol. No início com o gol marcado por Nico Lopez, a sensação era de que a ?toca? fosse superada. Mas em nova falha de marcação na lateral esquerda, um cruzamento perfeito encontrou jogador da Chape, vencendo o goleiro Marcelo Lomba.

No segundo tempo, continuou o Inter a não se achar em campo, tanto que a posse de bola permaneceu em sua maioria com a Chapecoense, a qual, em penalty cometido por Victor Cuesta, virou o placar.

No final, Damião desperdiçou uma penalidade, não conseguindo superar o bom goleiro alvi-verde.

Em termos de classificação, o Colorado permanece um ponto atrás do líder, mas já no domingo, enfrenta, em São Paulo, o Corinthians, com vários desfalques.

Em qualquer campeonato de pontos corridos, o que importa é a  regularidade, buscando pontos em jogos fora de casa e em seus domínios, alcançar a vitória. E era o que vinha acontecendo.

O tropeço de ontem, somado a eventual resultado negativo no próximo domingo, pode ocasionar o desencadeamento e saída do G4.

De qualquer forma, foi na adversidade que o Inter alcançou os melhores resultados neste Campeonato, não sendo surpresa se conseguir a vitória contra o Corinthians.

Ontem vários jogadores estiveram muito aquém das últimas atuações, principalmente Potker, Patrick e os dois laterais, Zeca e Iago, comprometendo inclusive a defesa. Jonathan Alvez não decepcionou, até porque suas péssimas atuações se repetem, sendo um erro do treinador mantê-lo em campo. Tomara que Odair tenha ciência disto, colocando como titular Leandro Damião, até que Guerreiro, que interpôs nova tentativa de retornar ao futebol neste ano, possa jogar.

Ainda restam 13 rodadas, sendo cada jogo uma decisão, não podendo o time se abater, no que pese sempre crermos que nosso time deve se contentar com classificação para a Copa Libertadores, pois o título é algo de difícil alcance, porém, não impossível.

Que assim seja.

Grande abraço.




E-mail:
Compartilhe esta coluna em suas redes sociais