Coluna de Português e Literatura

Cuidados com a Concordância

Maria Solange
Junho 12/ 2018

           Sabemos que para tudo andar bem e as pessoas se relacionarem umas com as outras, é preciso que haja concordância entre as partes. E isso não se refere somente a relacionamentos ou situações adversas, mas também na Gramática. Saber empregar a concordância é fundamental para a comunicação interpessoal. 

          1ª dica -> Ao escrever ou conversar, pronunciar bem as palavras, em especial, aquelas terminadas por ''R'' e ''S''. Ex.: Aquelas flores amarelas exalam uma fragrância incrível. Vou precisar ler mais para aumentar o meu conhecimento sobre as atualidades no mundo em que vivemos.

          2ª dica -> Quando usar as formas verbais na primeira pessoa do plural (nós), cuidar para dizer: nós estudamos (e não estudamo); nós viajamos (e não viajemo); nós escrevemos ( e não escrevemo)...

          3ِª dica -> Cuidado com as formas verbais: seja, esteja, veja ( nunca seje, teje, veje).

          4ª dica -> O plural das palavras ''cidadão, irmão, cristão, pão, anão'' é ''cidadãos, cristãos, irmãos, pães, anões''.

          5ª dica -> O verbo deve sempre concordar com o seu sujeito, ou seja, o agente da ação. Ex.: A criança gosta de doces. As crianças gostam de doces. Aconteceu, neste final de semana, um grave acidente. Aconteceram, neste final de semana, dois graves acidentes. Na aula de ontem, faltou um aluno. Na aula de hoje, faltaram cinco alunos.

          6ª dica -> Cuidar com as palavras ''menos'' e ''alerta''. Elas são invariáveis. Ex.: Na festa de ontem havia menos pessoas e menos iguarias. Os soldados estão alerta quanto à segurança do país.

          7ª dica -> Quando se referir a horas-relógio, o verbo deve concordar com o número da hora. Ex.: Que horas são ou que hora é? São dez horas ou é uma hora. O mesmo caso se aplica quanto ao dia do mês. Ex.: Que dia é hoje? Hoje são dez de junho ou Hoje é dia dez de junho. Usa-se o singular neste último caso para concordar com a palavra DIA.

          8ª dica -> Ao usar adjetivos compostos referentes a cores, se as duas palavras forem adjetivos, apenas a última flexiona; porém se apenas uma for adjetivo, nesse caso, nenhuma flexiona. Ex.: Olhos verde-claros; olhos verde-mar; bolsas marrom-escuras; bolsas marrom-café. 

          9ª dica ->  Com o verbo HAVER, deve-se ter muita atenção. Quando ele significar EXISTIR, ele não flexiona, fica sempre no singular. Porém, se aparecer o próprio verbo EXISTIR, este flexiona com o seu sujeito. Ex.: No concurso, houve muitos inscritos. Na festa, havia muitas atrações. OU, No concurso, existiram muitos inscritos. Na festa, existiam muitas atrações. 

        10ª dica -> Outro cuidado é com o verbo FAZER quando ele indicar tempo decorrido. Ele fica sempre no singular. Não flexiona. Ex.: Já fez trinta dias que ela viajou. Irá fazer dez anos que ela sumiu da cidade. Faz dias que não chove.

       11ª dica -> Quando usar a palavra MEIO, indicando ''não muito nem pouco'', ela não flexiona. Ex.: A garota está meio preocupada. A porta está meio aberta. Agora, quando usar com o sentido de ''metade'', neste caso, ela concordará com a palavra a que se refere. Ex.: Tomei meia taça de vinho. Tomei meia xicara de leite. Enchi meio copo de água.   

        12ª dica -> Atenção com as placas de anúncios: Vendem-se apartamentos; Aluga-se apartamento; Consertam-se bicicletas; Constroem-se muitos prédios; Alugam-se quartos. Arruma-se fogão. Nestes casos, o verbo deve concordar com o seu sujeito.



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais