Apaixonados pelo Colorado

De volta ao passado

Anderson Amaral
Maio 07/ 2018

Parece redundância a expressão ''de volta ao passado'', mas na verdade, após a rodada de número 4 do Brasileirão, nós colorados passamos a temer pela repetição do desastre catastrófico de 2016, quando fomos rebaixados para a Série B.

Certo é que a fase não é dos vermelhos, tanto que ontem na derrota para o Flamengo, nos dois gols a bola teve sua trajetória alterada  por ter batido em nossos defensores, impedindo que Danilo Fernandes fizesse as defesas. Certo também é que nas oportunidades criadas, a bola não entra o que vem ocorrendo há vários jogos.

Claro que muitos dirão que é muito cedo e que o time poderá se acertar e tal e tal . Mas, na verdade, assistir aos jogos do colorado tem sido uma tarefa totalmente estressante e causadora de mal estar.

Hoje, segunda feira, estamos ocupando a 13ª posição na tabela, mas dependendo do término da rodada, pois a Chapecoense joga contra o Vasco à noite, poderemos alcançar a 14ª posição, a dois pontos da zona do rebaixamento.

O pior é que não se observa  no time,  força de reação que possa trazer de volta a esperança de dias melhores, pois até os atletas de maior expressão, como é o caso de Willian Potker, estão nervosos e praticando atos infantis, provocando a expulsão de forma inexplicável

Além disto, o ataque está improdutivo, há mais de 400 minutos sem balançar as redes dos adversários, o que se mostra preocupante e desalentador.

Este sentimento de impotência e desânimo não é característica dos colorados, pois em alguns times, principalmente após vários anos de insucessos, a maioria dos torcedores para de apoiá-los, somente retornando para o mundo do futebol após a volta das vitórias e dos títulos.

Portanto colorados de Carazinho e região, é hora de nos insurgirmos contra os péssimos resultados, os quais somente podem ser alterados se a torcida cobrar, mas principalmente apoiando o time, tendo em vista que nenhum jogador ou dirigente é maior que a história deste centenário clube, celeiro de ases e de títulos.

Não podemos admitir em hipótese alguma estarmos nesta incômoda posição  dos 10 últimos colocados. Temos estádio de primeiro mundo, títulos e uma invejável trajetória de vitórias internacionais, inclusive desbancando um dos melhores times do mundo.

Que ecoe este desabafo e retornem as vitórias, as quais deverão ser alcançadas com muito esforço e abnegação, principalmente quando ausentes qualidades individuais, devendo preponderar o trabalho coletivo.

Que assim seja.

Grande Abraço. 


(Foto: Divulgação/ Inter)



E-mail:
Compartilhe esta coluna em suas redes sociais