Literatura e Português

Vícios de Linguagem

Maria Solange
Maio 07/ 2018

Ao contrário das figuras de linguagem, que servem para dar realce e beleza às mensagens emitidas, os vícios de linguagem são palavras ou construções que vão de encontro às normas gramaticais. Eles costumam ocorrer por descuido, ou ainda por desconhecimento das regras por parte do emissor. Vejamos alguns que aparecem em nosso dia a dia:

          1-Pleonasmo vicioso-> também chamado de redundância, é a repetição desnecessária de uma informação na frase. Ex.: Vamos entrar para dentro de casa. (entrar já supõe que seja para dentro)

              *Não confundir com o Pleonasmo Literário que se usa com o objetivo de enfatizar ou destacar alguma ideia. Ex.: Chovia uma chuva fina e fria. (nesse caso, é para destacar o tipo de chuva)

           2- Ambiguidade -> também chamada de anfibologia, ocorre quando num determinado enunciado há duplicidade de sentidos, o que dificulta o entendimento do texto pelo ouvinte. Ex.: Roberto estava com Maria falando de sua mãe. (a mãe de quem?); Retirei a estátua da sala e limpei-a. (limpei a sala ou a estátua?)

          3- Cacófato ou cacofonia -> ocorre em nível fonético da língua. Ele apresenta uma construção sintática onde surgem sons engraçados, desagradáveis ou mesmo que confundem o ouvinte. Ex.: Vi ela ontem pela manhã (viela). Eu amo ela (moela).

         4- Gerundismo -> é o uso exagerado do gerúndio. Isso acontece quando essa forma nominal é utilizada no lugar de uma conjugação mais adequada em termos gramaticais. Ex.: Vou estar te telefonando logo no início das promoções. (Telefonarei logo no início das promoções); Ele estava caminhando e falando no celular. (Ele caminha e falava no celular)

         5- Estrangeirismo -> considerado por alguns autores como barbarismo, o estrangeirismo consiste no uso exagerado e desnecessário de palavras de outros idiomas em vez das formas equivalentes em Língua Portuguesa. Ex.: Seu problema é o stress. (estresse); Vamos tomar um drink? (drinque); Ela só usa shampoo da Natura. (xampu)

         6- Barbarismo -> são erros de pronúncia, acentuação, ortografia, flexão e significação. Ex.: beneficiente (em vez de beneficente); poblema (em vez de problema);

rúbrica ( em vez de rubrica); gratuíto ( em vez de gratuito); ele mecheu (em vez de ele mexeu); ele interviu (em vez de ele interveio); meus comprimentos (em vez de meus cumprimentos)...

        7- Solecismo -> são erros de sintaxe (concordância, regência e colocação pronominal). Ex.: O responsável pelo projeto é nós (somos nós). Chegamos cedo no colégio (ao colégio). Foi ela que chamou-me ( que me chamou).

        8- Eco -> são dissonâncias causadas por terminações iguais nas palavras que constituem uma frase. Ex.: Tem gente que, por mais que tente, não consegue ser diferente. Nesta cidade não há honestidade, apenas vaidade e impunidade.

        9- Vulgarismo -> é o uso de expressões que  NÃO  se enquadram no padrão culto, formal. Ex.: Vamo estuda ( Vamos estudar). Custa cinco real (cinco reais). Eu vi ele na rua (Eu vi-o na rua).

      10- Plebeísmo -> refere-se a gírias, calão, chavões e expressões populares que indicam falta de instrução e erudição. Ex.: Fala, mané! Fiquei bolado com essa parada. Cada macaco no seu galho.





Compartilhe esta coluna em suas redes sociais