Coluna Circulando e a política em Carazinho.

Cabide a menos?

Ana Maria Leal
Abril 12/ 2018

O prefeito Milton Schmitz (MDB) disse em entrevista para a Rádio Gazeta que a atual direção da Eletrocar (Centrais Elétricas de Carazinho) não espere cargos no governo municipal depois que os sucessores assumirem, pois o secretariado está completo e ele não pretende fazer alterações.

Foi durante entrevista para meu colega Emílio Arruda, no Gazeta Notícias, nesta quarta-feira (11). Nela, o prefeito em determinado momento elogia a atual gestão da empresa, que está com o PP, tentou ser protocolar, mas logo depois admite que falta gestão na Eletrocar.

O que disse o prefeito:

Sobre a escolha de Danilo Dalzot Flores para a diretor presidente da Eletrocar:

''_ Temos a adequação da Lei das Estatais, convidei o ex-delegado Danilo pela sua conduta ímpar em Carazinho, para nossa felicidade aceitou o convite. Temos um compromisso com a direção atual da Eletrocar, fez um trabalho impar, temos que respeitar, com a nossa orientação, houve um avanço bem significativo da Eletrocar, mas ela precisa alçar novos voos para a frente, e é importante fazer essa adequação à legislação, mas reconhecer nossa diretoria que está à frente. A gente está se reunindo para ver em qual o momento, entre a virada de maio, final de junho, essa transição será feita''.

 

Se os novos nomes serão técnicos:

''_ Todos. Técnicos e qualificados. Mais nenhuma pessoa com caminhada política poderá estar participando, não tenho nada contra os políticos, muito pelo contrário, mas precisamos pensar na Eletrocar, cumprir a Lei das Estatais. No momento certo vamos divulgar, esses nomes precisam passar pela avaliação dos requisitos, ter formação compatível, nenhuma vinculação partidária, embora pessoas que estão lá tem competência, tem vinculação partidária, e a partir da virada do mês de junho, queremos adequar à lei''.

 

Se o nome de Danilo Flores é técnico, tem experiência na área:

''_ Ele tem experiência em administração. Não precisa ser um técnico, tem que ser um administrador. Técnico nós temos lá, o engenheiro Claudio (Quadros), todo o corpo técnico tem lá, o que precisa lá é gestão, o que falta para a Eletrocar é gestão, apenas isso. Tem eletricistas, toda equipe lá, a Eletrocar é uma empresa que praticamente anda sozinha, mas estamos sem gestão, precisa se fazer lá um trabalho que melhore a gestão e pela economicidade, esse é o caminho da Eletrocar e assim o faremos''.

 

Se o atual presidente e diretores irão para cargos no governo municipal:

''_ Não sei, é uma questão que cada um vai ter que buscar com seus partidos e trazer sugestão para nossa avaliação. Eu não vejo nenhum espaço hoje disponível em nível de secretariado. Não planejo nenhuma mudança no secretariado, até porque estamos com um time extremamente competente, hoje na parte do secretariado nós não temos nenhum espaço e não é nosso jeito de governar, nosso jeito de governar é produzir resultado para os nossos munícipes, e não buscando cabide de emprego aqui, cabide de emprego lá. Não estou dizendo que essas pessoas estão procurando cabide de emprego, não é isso, mas não vamos tirar, por exemplo, uma Anelise Almeida da secretaria de Saúde para colocar um Charles Settti que venha da Eletrocar, não faremos esse tipo de coisa pois  primamos por governo sério''.

 

Clique aqui para ouvir a entrevista: 


(Imagem do google meramente ilustrativa).



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais