Coluna Circulando e a política em Carazinho.

Sondagens.

Ana Maria Leal
Fevereiro 09/ 2018

Os partidos não estão falando sobre as eleições municipais de 2020, até porque ainda nem passamos pelas eleições de 07 de outubro deste ano.

Entretanto, nos bastidores já ouvi em muitas siglas especulações sobre o que pode acontecer daqui a três anos.

No PDT, por exemplo, onde os filiados ainda amargam a frustração de 2016 em que não tiveram um nome para oferecer aos eleitores na disputa pela prefeitura de Carazinho, essa ânsia é ainda maior.

Há um interesse da sigla em não deixar passar em branco esse período de três anos e motivar algumas figuras específicas para colocar o nome à disposição no momento certo.

Entre os nomes, podem estar esses dois. 

Eloísa Dreyer até esteve disposta a compor uma majoritária em 2016, alguns podem lembrar.

Alaor Tomaz não foi cogitado à época já que em 2016 o partido fazia a vontade do ex-prefeito Renato, que tinha Alaor como persona non grata.

E como me disse um experiente político recentemente: "2020 é um livro em branco que está sendo escrito hoje, sim, devagarinho, não se engane!". 





Compartilhe esta coluna em suas redes sociais