Coluna Circulando e a política em Carazinho.

Será ?

Ana Maria Leal
Janeiro 04/ 2018

Numa conversa com personagens da política local nesta quinta-feira (04) me afirmaram que apesar de não parecer, há muitas tratativas referentes às eleições municipais de 2020 sendo encaminhadas.

Por exemplo: no aguardo da abertura janela eleitoral para detentores de cargos eletivos trocarem de partidos sem perda de mandato.

Me informaram que o vereador Estevão De Loreno não deverá trocar o PP pelo PMDB. Não que ele tenha mudado de ideia em trocar de partido. Apenas teria escolhido trocar para outra sigla, PSB.

O motivo é que no PSB teria menos concorrência interna para apresentar seu próprio nome para vice do prefeito Milton Schmitz (PMDB) numa provável candidatura à reeleição.

Se mantivesse o plano de mudar para o PMDB De Loreno teria que competir numa lista maior entre interessados na posição de vice, e depender, ainda, da decisão do PMDB em concorrer em 2020 com uma chapa pura.

O que não deve acontecer, pois a tendência é manter a atual base aliada, a menos que alguma sigla queira sair, o que hoje é improvável.

E o PSB, por sua vez, com a chegada de De Loreno que deve ocorrer a partir de abril, teria um argumento a mais para colocar na mesa e negociar com o PMDB a indicação do vice, ou seja, o aumento da bancada na câmara, de dois para três vereadores.

E essa formação PMDB-PSB na majoritária considerando, claro, se não for mantida a atual: PMDB-PP.

Se estou certa só a partir de 2022 o mandato do presidente da República, governador e prefeito será de 5 anos, sendo vedada a reeleição.

Quando perguntei se não era muito cedo para toda essa conversa nos bastidores me responderam: ''Não se dá um aperto de mão hoje que não seja pensando em 2020...''.

Então tá. 






Compartilhe esta coluna em suas redes sociais